Polícia procura maníaco do Subúrbio

salvador
09.07.2021, 19:49:00
Atualizado: 09.07.2021, 19:49:38

Polícia procura maníaco do Subúrbio

Duas mulheres foram vítimas de tentativas de estupro cometidas pelo mesmo suspeito

Há 15 dias, duas mulheres, uma moradora de São Tomé de Paripe e outra de Alto de Coutos, tiveram suas histórias cruzadas por um maníaco. Em dias distintos, elas caminhavam perto de casa quando um homem em uma picape branca parou e as abordou com uma faca. Uma lutou e conseguiu correr. A outra foi puxada para dentro do carro e lavada, mas depois se jogou do veículo em movimento. Elas foram vítimas de tentativas de estupro que teriam sido cometidas por Elcimar Veloso Juriti, 33 anos, conhecido como Cachorro Louco, segundo informações da TV Bahia. Ele já responde na Justiça por ter violentado duas adolescentes em 2019. 

“Minha filha entrou em luta corporal com ele dentro do carro. Quando ela viu que ele estava chegando num local deserto, com uma mão ela abriu a porta, com a outra usou uma caneta para furá-lo e pulou. Ela ficou com alguns ferimentos, mas nada grave. Graças a Deus que ela conseguiu se livrar dele”, contou a mãe de jovem de 18 anos, que preferiu não se identificar. 

Segundo a Polícia Civil, até agora, duas vítimas registraram ocorrência de tentativa de estupro e roubo na 5ª Delegacia Territorial de Periperi. As investigações estariam apontando para Elcimar, que é acusado de outros ataques a mulheres no Subúrbio Ferroviário – e por isso ganhou um novo apelido: o Maníaco do Subúrbio. 

No último domingo, a polícia encontrou o carro usado pelo suspeito nos dois ataques recentes: uma picape Ford Courier branca. O carro estava abandonado em uma estrada do CIA 1, em Simões Filho. No veículo, foram encontradas roupas do suspeito, uma delas uma camisa de time europeu, identificadas por uma das vítimas. Ela confirmou que o carro foi o mesmo usado pelo o homem que a atacou. Seguindo a polícia, o automóvel chegou a ser flagrado por câmeras de segurança, no dia em que o maníaco cometeu o crime.

Estupro
A mãe da jovem que pulou do carro contou ao CORREIO que a filha sofreu a tentativa de estupro no dia 24 de junho, por volta das 20h, na volta para a casa. A jovem tinha acabado de sair da igreja, quando foi abordada pelo maníaco na Rua da Guiné, em Alto de Coutos. “Ele a levou para a Rua do Brunélio, que fica bem atrás da delegacia (5ª DP), foi quando ela viu a oportunidade para reagir e pular do carro”, contou. 

Ela revelou que a filha foi obrigada a ficar de cabeça baixa durante o momento em que estava em poder do bandido. “ Mas, ela disse que reconheceu o cavanhaque, o tom de pele desse ‘Maníaco do Subúrbio’. Eu tive contato com as outras vítimas e elas reconheceram ele também”, falou a mãe, sobre a foto de Elcimar. 

Na 5ªDP, quando foi acompanhar a filha para registrar a ocorrência do ataque, a mãe de vítima encontrou com a outra mulher, uma moradora de São Tomé de Paripe, que também escapou do acusado.  “Conheci a outra vítima na delegacia. É uma moça de 25 anos. Ela disse que já tinha feito defesa pessoal, lutou e ele desistiu”, contou. 

Simões Filho 
Com a repercussão do Maníaco do Subúrbio, veio à tona dois casos de duas adolescentes que foram estupradas em setembro de 2019 por Elcimar. O CORREIO conversou com a mãe de uma delas. “Ela estava em casa, me pediu para ir na casa da minha amiga, que também foi estuprada. Ele ficou em um carro parado numa quadra em Mapele. Ficou observando as meninas que estavam no mercadinho. As meninas foram para quadra. Ele pegou elas no carro e levou para a CIA, estuprou, depois largou elas na rotatória de Mapele. As duas tinham de 16 anos”, lembrou. 

Ainda segundo ela, uma semana depois, ele foi preso por porte ilegal de armas e por ter estuprado uma adolescente de 14 anos na Ilha de São João, no bairro Ilha do Sossego. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas