População em situação de rua ganha Natal na Piedade

salvador
18.12.2021, 22:01:00
Uma programação cultural diversificada marcou o 'Natall Inclusive' para a população em situação de rua (Foto: Yasmin Valverde/Divulgação)

População em situação de rua ganha Natal na Piedade

Ação realizada pela Salvador Invisível conseguiu distribuir 200 quentinhas com ceia natalina

Há cerca de quatro anos, Aline Silva Santos,33, conseguiu fugir de casa com três filhos. Vítima de agressões constantes por parte do então companheiro, ela sabia que se não fizesse isso terminaria morta. Sem ter para onde ir ou em quem se apoiar, ela foi parar nas ruas com os filhos. “Quando conheci o Salvador Invisível estava doente e meus filhos também. Hoje, estamos num albergue e luto para tirar meu atual companheiro das ruas também. Desde que conheci o trabalho, um mundo se abriu para mim. De coisas como a (lei) Maria da Penha que eu nem sonhava que existia”. 

Aline - que se definiu como uma maloqueira ousada -  comemorou a oportunidade de uma noite tranquila ao lado dos filhos e do atual companheiro (Foto: Carmen Vasconcelos/CORREIO)

Na noite desse sábado (18), Aline pode descansar, se divertir e esquecer um pouco da rotina de batalhas no 'Natall Inclusive'. A ação – realizada pela organização Salvador Invisível – quis promover a integração e levar um pouco de alegria, além de uma ceia natalina para cerca de 200 pessoas em situação de rua. Além das quentinhas, os presentes puderam apreciar uma apresentação de músicos da Neojibá, uma competição de rap e o espetáculo de teatro de bonecos. 

Quem marcou presença no evento e trouxe um presente especial para os convidados foi a vice prefeita Ana Paula Matos. “Achei que não conseguiria me emocionar mais, depois de estar com crianças com síndrome de down, mas chego aqui e vejo essa alegria e potência. Quero dizer que estamos viabilizando os cursos para que vocês possam agilizar os ‘corres’ com toda dignidade”, afirmou. A vice prefeita fez questão de salientar que a oferta dos cursos era uma reinvindicação antiga e que seria disponibilizada dentro daquilo que aquela população mais necessitava. 

A vice prefeita Ana Paula Matos se comprometeu em ajudar a população de rua com a viabilização de cursos de capacitação para ajudar na conquista de trabalho (Foto: Carmen Vasconcelos/CORREIO)

De acordo com o idealizador do projeto, Lucas Gonçalves, este ano, a montagem do evento foi um desafio, mas ganhou um fôlego com a ajuda institucional da Prefeitura, que destinou 200 cestas básicas, a estrutura física e parte dos ingredientes da ceia natalina. “Antes da pandemia, as pessoas iam parar nas ruas por situações como a depressão, as drogas, orientação sexual, violência doméstica. Esse ano, o desemprego foi um dos maiores fatores”, lamentou Lucas. 

Ele lembrou que, antes da pandemia, a invisibilidade da população de rua era um problema social com características distintas do momento atual. “Em 2020, quando as pessoas passaram a ficar em casa, parece que a necessidade da população de rua finalmente havia saltado aos olhos e recebemos muitas doações. Em junho, as dificuldades econômicas do país voltaram a dificultar a vida deles também”, analisou.

(Foto: Yasmin Valverde/Divulgação)
(Foto: Yasmin Valverde/Divulgação)
(Foto: Yasmin Valverde/Divulgação)
(Foto: Yasmin Valverde/Divulgação)
(Foto: Yasmin Valverde/Divulgação)

Justamente por essa dificuldade, nos meses de junho e agosto, a Salvador Invisível fez parcerias com quatro shoppings centers da cidade (Paseo, Barra, Itaigara e Piedade) para arrecadar agasalho, sapatos e meias. “Conseguimos arrecadar cerca de dois mil quilos em vestuário e distribuímos com os assistidos”, contou.

As últimas estimativas apontam que existem mais de 20 mil pessoas em situação de rua na capital baiana. Em tempos de pandemia, os voluntários da Salvador Invisível se defrontam com o desafio de garantir assistência e saúde para essa população. “É uma luta em duas frentes: convencê-los da importância de tomar vacina, por exemplo, e garantir imunizantes junto aos poderes públicos, especialmente agora com as doses de reforço”, finalizou. 

A Salvador Invisível é uma associação sem fins lucrativos que trabalha com a população em situação de rua, visando a dignidade das pessoas consideradas invisíveis socialmente. O projeto foi iniciado em 2019, a partir da divulgação de histórias das pessoas em situação de rua de Salvador. Hoje, a associação trabalha em parceria com a Prefeitura e outros movimentos sociais para acompanhar e garantir os direitos das pessoas em vulnerabilidade.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas