Prates comemora a vaga na semi: 'Estamos na briga pelo título'

e.c. bahia
05.05.2021, 23:01:43
Atualizado: 05.05.2021, 23:51:31
Cláudio Prates, técnico do time de transição do Bahia (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Prates comemora a vaga na semi: 'Estamos na briga pelo título'

Treinador destaca a defesa do Bahia no Baianão, mas alerta que o time precisa melhorar na parte ofensiva

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em um confronto direto com o Jacuipense, o Bahia se deu melhor e avançou para a próxima fase do Campeonato Baiano. O Esquadrão ganhou por 1x0 na noite desta quarta-feira (5), em Pituaçu, e se classificou para as semifinais. Enfrentará o Bahia de Feira, em jogos de ida e volta.

O gol do triunfo sobre o Leão do Sisal veio ainda aos seis minutos do primeiro tempo, com Marcelo. A partir daí, o Jacuipense, que precisava virar para avançar, cresceu e empilhou várias oportunidades de gol. O tricolor também falhou na hora de ampliar o marcador e o resultado ficou no 1x0. 

Após a partida, o técnico Cláudio Prates concordou que o Bahia poderia ter sido mais eficiente, mas exaltou o rival da noite.

"Sabíamos que seria um adversário que teríamos dificuldade, pelos anos que trabalham juntos, pela experiência dos jogadores, pelo entrosamento. Não esperávamos sofrer tanto, mas queríamos aproveitar alguns detalhes que eles deixam vulneráveis na equipe. Não conseguimos mais por falta de capricho na hora de finalizar e matar o jogo. Os jogadores têm se entregado ao máximo. Estamos dentro da briga para conseguir esse título", afirmou.

"Não concordo que 'sofremos sufoco'. A gente perdeu oportunidades de sair em contra-ataque e matar o jogo. Perdeu um pouco, também por qualidade do adversário, para ter essa saída de jogo mais limpa. Méritos deles e demérito nosso em não ter essa consistência ofensiva", continuou o treinador da equipe de transição.

Pela tabela divulgada pela Federação Bahiana de Futebol (FBF), o Bahia fará o jogo de ida da semi, contra o Bahia de Feira, no próximo sábado (8), às 19h30, em Pituaçu. O Esquadrão, aliás, fará o duelo decisivo contra o Ceará, pela final da Copa do Nordeste, no mesmo dia, às 16h. 

Já a partida de volta pelo estadual será na próxima terça-feira (11), na Arena Cajueiro, em Feira de Santana, às 19h30. Cláudio Prates analisou o rival e disse não esperar um jogo fácil. 

"O Bahia de Feira é uma equipe que a gente já teve dificuldade, montada há muito tempo, com vários jogadores experientes. Vamos ter dificuldades. Espero estarmos mais confiantes. Essa classificação tira um peso das costas de todos e nos dá uma motivação maior para ir às finais".

O treinador voltou a falar sobre os problemas do time, mas voltou a exaltar a parte defensiva e a vontade dos jogadores.

"Se for ganhando e classificando, dá [para ir assim até o final]. Nós somos a melhor defesa, temos consistência, temos entrega, que é algo que a torcida sempre exige dos atletas. Temos que criar mais oportunidades. Poderíamos ter feito dois, três gols que matariam o jogo. Acima de tudo, a gente sabe o que tem que fazer", afirmou.

Confira outros trechos da entrevista de Cláudio Prates

O que fazer para chegar à decisão de forma mais tranquila?
A ideia é sempre evolução. Nem sempre se consegue de um jogo para outro, de uma fase para outra do campeonato. A gente sabe que tem algumas dificuldades, principalmente ofensivas. Não podemos deixar de ressaltar que esse time tem a melhor defesa do campeonato. Obviamente que isso não é só em função da linha de 4, da parte defensiva. É em função de todos que ajudam muito, a entrega é louvável. Mas com certeza, a gente gostaria de ter uma classificação mais tranquila.

O que melhorar?
Não tenho nada a reclamar. Internamente, resolvemos nossos problemas. Teve comemoração pela classificação pelo merecimento dos meninos. É um grupo muito jovem, volátil no sentido emocional. Mas eles continuam se entregando. Temos que melhorar na parte ofensiva, ter um pouco mais de jogo e saber matar os jogos. Eles, pela qualidade, nos empurraram para trás. Precisamos sair e matar. Para tudo tem estratégias. Precisamos estar mais conscientes disso para não sofrer tanto.

Daniel Penha e Ronaldo
As dificuldades estão na parte ofensiva. Penha se entrega muito, tem chute forte. Não foi feliz hoje em algumas ações, mas tem total confiança, como os outros. Ronaldo era o titular, passou por semana grande. A gente fica períodos muito longos só com treinamentos, foram 15 dias. O Ronaldo se preparou e não conseguiu entrar de cara porque estava se recuperando. Precisa de ritmo maior para conseguir ter as oportunidades que teve e concluí-las em gol.

Renan Guedes e Borel
Renan é um jogador experiente, está acostumado. Conseguiu bom rendimento na equipe principal, a gente sabe do potencial. Mas a gente confia muito no Borel. Enquanto teve condição, principalmente física, rendeu bem. Apoiou e foi consistente atrás. Nossa missão é conseguir elevar o maior número de jogadores ao principal. O Renan a gente sabia que uma hora ou outra iria perder. 

Equipe de jovens
Venho reclamado, no bom sentido, que o Bahia está dando chance a jovens, que vão queimar etapas. Imagine chegar no último jogo precisado vencer para classificar. Essa parte emocional, com certeza, vai evoluir muito. Essa juventude, acima de tudo, está sendo valorizada pelo Bahia.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas