Prefeito boliviano é preso por permitir festa que propagou covid-19

coronavírus
07.04.2020, 21:18:00
Atualizado: 07.04.2020, 21:36:00

Prefeito boliviano é preso por permitir festa que propagou covid-19

Festival de cinco dias aconteceu quando país já havia proibido aglomerações

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O prefeito da cidade boliviana de Patacamaya, ao sul da capital La Paz, foi preso nesta terça-feira (7) depois de permitir a realização de uma festa religiosa que se tornou o foco de contágio do coronavírus na região. 

Tibúrcio Choque foi acusado pelos crimes de ataque à saúde pública, perigo de destruição e quebra de deveres. Ele foi denunciado pelo Ministério Público por permitir o evento religioso que durou cinco dias  (entre 12 e 16 de março). 

Ao todo, 600 pessoas participaram da festa que contou com convidados de fora do país. Após a celebração, uma pessoa morreu e outras seis testaram positivo para covid-19. 

Nesta terça-feira (7), a cidade de Patacamaya, que tem cerca de 23 mil habitantes, foi completamente isolada. A medida foi tomada para evitar a proliferação do vírus. 

Até o momento a Bolívia registra 194 casos do coronavírus, com 14 mortos. O governo do país iniciou um período de quarentena e fechou as fronteiras terrestres e o espaço aéreo. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas