Preocupado com esposa e bebê, motorista pede calma com aviso em carro 

em alta
29.02.2020, 15:28:25
Atualizado: 29.02.2020, 15:35:57
(Foto: Kísie Ainoã/Campo Grande News)

Preocupado com esposa e bebê, motorista pede calma com aviso em carro 

Aviso de ‘Tenha calma, minha mulher fez cesárea’ foi respeitado por outros condutores

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com o pedido de ‘Tenha calma, minha mulher fez cesárea’ preso ao porta-malas do carro, o casal Marcos e Lucilene deixou a maternidade Cândido Mariano, em Campo Grande (MS), de volta para casa nessa sexta-feira (28) com a filha Helena. As informações são do site CampoGrandeNews.

O pedido da vez tem uma explicação: o casal de segunda viagem viveu uma experiência nada agradável há 1 anos e 9 meses, quando levavam para casa o primeiro bebê. Devido ao asfalto das ruas da cidade, no nascimento de Júlia, eles decidiram que desta vez, a chegada de Helena em casa seria bem diferente.

“É minha segunda cesárea, e eu sofri muito com o trajeto do hospital para casa no dia que tive alta devido aos buracos da rua. Então, meu marido ficou buscando uma maneira para que eu sofresse menos”, explicou à publicação a auxiliar administrativo Lucilene Coronel Cândido, 40 anos.

(Fotos: Kísie Ainoã/Campo Grande News)

O percurso durou 18 minutos. Em determinado momento, uma fila de carros se formou atrás da família e em nenhum momento alguém buzinou ou tentou apressar. "Achei isso muito bacana da parte dos motoristas, essa era a minha ideia. Da outra vez minha esposa machucou bastante e eu me senti culpado por aquilo, queria fazer alguma coisa", explica o servidor público Marcos dos Santos Cândido, 40.

Além do recado, eles também ocuparam a faixa do meio, no intuito de que os condutores de todas as filas pudessem enxergar. "Tem uma mãe que acabou de passar por uma cirurgia, o corte é grande, não é simples", descreveu Marcos.

Da maternidade à casa da família, a empatia imperou no trânsito para receber Helena. Muita gente filmou e fotografou. "Baixavam o vidro e falavam parabéns. Na maternidade, um pai falou que ia fazer isso também. Quero que seja um gesto que se multiplique e venha trazer mais harmonia. Fiquei muito feliz, porque minha filha já chegou trazendo algo positivo assim", conclui Marcos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas