Primeira-dama Michelle Bolsonaro lamenta morte da avó por covid-19

coronavírus
13.08.2020, 10:13:00
Atualizado: 13.08.2020, 10:13:49
(PR)

Primeira-dama Michelle Bolsonaro lamenta morte da avó por covid-19

Ela não comentou post do primo que diz que ela 'não fez nada' pela avó

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro lamentou a morte da avó, Maria Aparecida Firmo Ferreira, de 80 anos, vítima de covid-19 na madrugada de ontem, no Hospital Regional de Ceilândia (HRC), no Distrito Federal.

De acordo com nota da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Michelle recebeu a notícia com pesar.

"Ela sente e afirma que é um momento de tristeza e dor para toda a família. A senhora Michelle Bolsonaro lamenta que alguns parentes tratem certos momentos tão pessoais com oportunismo em desrespeito ao sofrimento de todos. A primeira-dama permanece recolhida em casa em tratamento contra o novo coronavírus e espera que o momento de luto seja respeitado, acima de quaisquer questões pessoais e familiares", diz a nota.

A avó da primeira-dama, Maria Aparecida foi internada no dia 1º de julho no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) e chegou a ser encaminhada para a Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Regional de Santa Maria, mas foi transferida novamente para o HRC.

Ceilândia, cidade onde morava a avó de Michelle, concentra o maior número de casos e mortes pelo novo coronavírus na capital federal, com mais de 16 mil pessoas infectadas (14,1% do total) e 356 mortes.
De acordo com o boletim da Secretaria de Saúde, divulgado na terça-feira (11), o DF já registrou 113,9 mil casos da doença, sendo que 1.700 pessoas morreram.

Michelle e o presidente Jair Bolsonaro também já contraíram a doença. No dia 7 de julho, o presidente anunciou que seu exame havia dado positivo. Ele permaneceu em isolamento no Palácio da Alvorada até o dia 25 de julho, quando informou que estava recuperado.

Já Michelle anunciou que estava com covid-19 no dia 30 de julho e, desde então, também vem sendo acompanhada pela equipe médica da Presidência.

Confusão em família
Ontem, horas após a morte de Maria Aparecida, um primo da primeira-dama a acusou de não fazer nada pela avó, que morreu em hospital público. Eduardo D’Castro usou o Instagram para falar do caso.


“Obrigado por você não ter feito absolutamente nada por nossa avó. Tanto poder, tanta influência e por vergonha, sim, vergonha, não ajudou seu próprio sangue. Você ajuda tantas pessoas, participa de tantos projetos pra ajudar os outros e sua própria família, você vira as costas. Triste ver quem você se tornou. Não reconhecemos mais você”, escreveu ele.

Horas depois, o jovem publicou outra imagem. Dessa vez, expôs um print com uma resposta atribuída à conta oficial da primeira-dama, com a mesma foto e nome da conta de Michelle. Segundo o print publicado pelo primo, ela responde às acusações e escreve que vai processá-lo por conta das publicações.

“Vou te processar por essa postagem. Acho melhor você rever sua postura em relação a essa postagem. Deixa de ser cretino. Você não é o rico da internet? Cuidado com as suas postagens, seu moleque. Você nem gostava da vó. Seu falso. Seu merda. Cuidado!”, consta nos prints publicados pelo primo de Michelle.

A comunicação da Presidência da República não se posicionou sobre as postagens. A família de Michelle Bolsonaro, que também foi procurada, não atendeu às ligações.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas