Projeto do BRT terá também viadutos, elevados e macrodrenagem

salvador
15.03.2017, 06:20:00

Projeto do BRT terá também viadutos, elevados e macrodrenagem

Também haverá uma ciclovia ao longo de toda o corredor exclusivo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

As obras do sistema BRT beneficiarão não só quem anda de ônibus em Salvador. Além das vias exclusivas, será feita a macrodrenagem do canal da Avenida Antonio Carlos Magalhães para resolver o problema dos grandes alagamentos na região em épocas de fortes chuvas. Segundo o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), essa obra vai gerar economia de recursos. “Todo  ano, a prefeitura gasta uma grana para limpar o canal da ACM, senão transborda tudo”, aponta.

Outra intervenção de impacto no trânsito será a construção de um complexo de sete viadutos entre a Rua Lucaia e o Iguatemi, passando pelo Parque da Cidade, o que vai transformar esse corredor viário em uma via de trânsito contínuo, aumentando a velocidade para os carros que passam por ali em cerca de 50%, segundo estimativas do secretário Fábio Motta. 

Os elevados paralelos Cidadela e Hiper e os viadutos Iguatemi, Parque da Cidade- Lucaia e Parque da Cidade-Iguatemi vão eliminar a necessidade de sinaleiras para quem usa o corredor como via de passagem. 

O complexo ainda vai eliminar todos os retornos da região e os cruzamentos entre a Avenida Vasco da Gama e Lucaia (Viaduto Garibaldi-Lucaia); Avenida ACM, em frente ao Parque da Cidade (viadutos direcionais no sentido Itaigara-Lucaia e Iguatemi-Itaigara); Avenida Paulo VI e Avenida ACM em direção à Avenida Tancredo Neves. 

Foto: Reprodução

Serão implantadas cinco faixas em cada sentido: duas vias lindeiras (locais), para quem precisa ter acesso a algum ponto entre a Lucaia e o Iguatemi; duas vias expressas para quem quer acessar a Garibaldi, a Tancredo Neves ou a Paralela; e a via expressa do BRT. Entre as vias expressas - uma em cada sentido - será construída uma ciclovia. 

“Imagine o que é sair da Avenida Garibaldi e ir até o Iguatemi sem ter que passar por uma sinaleira ou sair do Itaigara e pegar a Juracy Magalhães sem ter que ir até a frente do Iguatemi. São coisas que vão impactar diretamente a qualidade de vida do cidadão”, ressaltou Neto. 

O secretário de Mobilidade, Fábio Motta, afirma que a retirada de 140 ônibus do corredor viário - para dar lugar ao BRT - também vai melhorar a fluidez. “Tem 180 ônibus passando por ali  no horário de pico, que passarão a ser 40, circulando pelas vias lindeiras”, diz. 

Segundo ele, a redução não impactará na vida de quem precisa trafegar pela via, já que podem pegar um ônibus local até uma estação do BRT e seguir. “São os ônibus comuns que vão alimentar o sistema do BRT”, afrima Fábio Mota.

Com todas as alterações que serão feitas no Corredor Iguatemi-Garibaldi, a prefeitura acredita que haverá impactos para quem precisa acessar as principais áreas da Pituba, Iguatemi, Avenida Tancredo Neves, Vale das Pedrinhas, Rio Vermelho, Ondina, além de outros bairros da cidade.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas