Projeto 'Zap Respeita as Mina' recebe denúncia em caso de violência doméstica

bahia
19.10.2020, 20:07:34
Atualizado: 19.10.2020, 20:17:32

Projeto 'Zap Respeita as Mina' recebe denúncia em caso de violência doméstica

O software utiliza inteligência artificial para gerar respostas com orientações, além de permitir o acesso a atendentes em contato direto com o serviço 190 da Polícia Civil

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O projeto piloto do Zap Respeita as Mina foi lançado nesta segunda-feira (19), pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA). O software programado utiliza inteligência artificial para gerar respostas referentes à violência doméstica e familiar, além de permitir o acesso por mensagem a atendentes em contato direto com o serviço 190 da Polícia Civil para os casos de emergência.


Em casos de emergência, as mulheres poderão acessar o Zap Respeita as Mina através do número (71) 9909-9322 e enviar uma mensagem para uma das atendentes. O diálogo entre a usuária e a atendente será apenas por mensagem de texto, uma opção para mulheres que não podem realizar uma ligação telefônica por estar no mesmo ambiente que o agressor. Em seguida, após se certificar da gravidade da agressão, as atendentes poderão acionar a polícia. 


Além de fazer denúncias, as usuárias também podem por obter orientações e informações acerca dos órgãos que compõem a rede de atenção à mulher em situação de violência e as atribuições de cada um deles; da central de atendimento à mulher (Ligue 180); de como fazer uma denúncia; como obter uma medida protetiva de urgência; o que fazer em caso de violência sexual, entre outras informações. Para isso, a pessoa deverá clicar no link que estará disponível assim que acessar o sistema.


Outra opção é acessar o site da SPM-BA (www.mulheres.ba.gov.br). Lá é possível encontrar um ícone do projeto Zap Respeita as Mina que redireciona a usuária para o chatbot, um software programado que utiliza inteligência artificial, para orientações e informações. Ao se conectar, a pessoa digita o número correspondente à opção que deseja e obtém as informações e orientações de forma rápida. Mensagens também poderão ser encaminhadas às atendentes de plantão por meio de webchat.


Para a secretária da SPM-BA, Julieta Palmeira, esse serviço na área de enfrentamento à violência é uma iniciativa pioneira.

“Esse serviço é uma alternativa importante por orientar sobre a violência de gênero e permitir também o pedido de ajuda por meio de mensagem, sendo mais uma opção para a mulher nos casos de emergência. Soma-se a outras iniciativas e serviços sempre buscando ampliar o acesso à denúncia e pedido de proteção principalmente durante a COVID-19. Agradecemos o apoio da SSP nessa nova ferramenta”, avaliou.


Já o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, ressaltou a importância de somar esforços para combater a violência contra as mulheres e destacou outros canais em atividade.

“Além do serviço de 190 e os atendimentos da Ronda Maria da Penha e das Deams, destacamos que a nova Delegacia Digital garante também um atendimento rápido para as vítimas, sem a necessidade, no primeiro momento, de se dirigirem até uma unidade convencional de forma presencial”, salientou.

Estudo
A iniciativa está de acordo com um estudo divulgado recentemente pelo Banco Mundial que aponta as opções de webchat e whatsapp para denúncia de violência contra a mulher como alternativa para ajudar a diminuir os riscos e o medo de as mulheres serem ouvidas por seus agressores, especialmente no período de pandemia. Do mesmo modo, o registro de casos por boletim de ocorrência eletrônico a exemplo da delegacia digital.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas