Reforço no caixa e fase de grupos: entenda o peso da Sula para o Bahia

e.c. bahia
26.02.2021, 15:34:00
Atualizado: 26.02.2021, 22:54:51
Com golaço, Rossi abriu a vitória sobre o Santos que garantiu a classificação do tricolor à Sul-Americana (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Reforço no caixa e fase de grupos: entenda o peso da Sula para o Bahia

Tricolor garantiu vaga no torneio internacional pelo quarto ano consecutivo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Pelo quarto ano consecutivo, o Bahia vai jogar a Copa Sul-Americana. O tricolor garantiu a oitava participação na competição internacional - recorde entre clubes do Nordeste -, depois de vencer o Santos, por 2x0 na noite de quinta-feira (25), e contar com a derrota do Sport, para o Athletico-PR, pelo mesmo placar. 

A classificação teve um peso importante no planejamento do Bahia para a sequência do ano. Em 2021, a Sul-Americana mudará de formato. No lugar dos confrontos por mata-mata do início ao fim, a nova fórmula conta com uma primeira fase nacional e na sequência os times serão divididos em grupos de quatro componentes. É aí que a mudança é boa para o Esquadrão. 

Pelo regulamento, clubes argentinos e brasileiros entram diretamente na fase de grupos - seis de cada país. Dessa forma, além de garantir um calendário maior, com pelo menos seis jogos na competição, o tricolor receberá uma cota de 300 mil dólares por cada partida como mandante, totalizando 900 mil dólares, o que na atual cotação significa cerca de R$ 5 milhões.

O valor será importante para reforçar as finanças do clube, que prevê mais um ano difícil na geração de receitas por causa da pandemia do novo coronavírus. Além disso, o dinheiro surge como um plus, já que o Esquadrão não contava com a cota da Copa Sul-Americana no orçamento apresentado pela diretoria ao Conselho Deliberativo para a nova temporada. 

32 anos depois
Com o novo formato da Sul-Americana, o Bahia voltará a disputar a fase de grupos de uma competição internacional depois de 32 anos. A última vez que isso aconteceu foi na Copa Libertadores de 1989.

Pelo calendário da Conmebol, a primeira fase será disputada entre março e abril. Esta etapa regionalizada terá confrontos caseiros entre os times de Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. No momento, apenas os uruguaios ainda não definiram os seus representantes. 

Os 16 vencedores avançam para a fase de grupos, que contará ainda com seis equipes do Brasil, seis da Argentina e quatro provenientes da Copa Libertadores (eliminadas na terceira fase preliminar), totalizando 32 times.

A partir de então, esses 32 serão divididos em oito chaves de quatro clubes. Só o primeiro colocado de cada chave avança para as oitavas de final e se junta a mais oito eliminados da Libertadores para começar o tradicional mata-mata. 

O sorteio dos grupos será realizado no dia 14 de abril e a segunda fase tem início previsto para 20 do mesmo mês. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas