Retorno de aulas 100% presenciais gera debate

entrelinhas
25.09.2021, 05:00:00

Retorno de aulas 100% presenciais gera debate

Notícias que marcaram a semana

Na noite da última quinta-feira (23), o prefeito Bruno Reis anunciou que as escolas da rede municipal - que atendem o ensino infantil e fundamental - irão voltar ao sistema 100% presencial já a partir da próxima segunda (27). As aulas da rede municipal têm funcionado no modelo híbrido desde 23 de agosto. A retomada presencial ocorrerá em 412 escolas, atingindo 151 mil alunos e 8 mil professores.

As escolas particulares já vêm ensaiando essa volta há algum tempo, desde que o governador Rui costa abriu a possibilidade do retorno 100% ser autorizado a partir de outubro. Medidas como a redução no distanciamento obrigatório, de 1,5m para 1m, vão permitir que mais alunos sejam acomodados nas salas, mas isso não quer dizer que tudo voltará a ser como antes.

“A queda nos números de contaminação e o avanço da vacinação dão segurança para essas decisões. Estaremos com quase a totalidade dos alunos na escola obedecendo um protocolo rígido de segurança, pois os cuidados têm que continuar. Antes, um grupo da turma vinha uma semana e outro vinha noutra. Agora, não vai precisar mais ter o rodízio, justamente por causa do menor distanciamento”, afirma Márcia Khalid, diretora do colégio Oficina.

As medidas variam entre escolas. Existem algumas que manterão a opção aberta para alunos, entre presencial e online. Outras que já haviam retornado por conta das salas serem grandes. Pais ouvidos pelo CORREIO divergiram sobre permitir que seus filhos voltem às aulas presenciais. O importante, sem dúvida, é que as escolas possam oferecer os dois modelos aos estudantes.
Nas faculdades particulares de Salvador, acontece o inverso. A grande maioria só pretende que as aulas teóricas voltem a ser 100% presenciais em 2022 e olhe lá. O modelo online, com menor custo, parece ter agradado às instituições. 

“A probabilidade de voltar ao ensino presencial como antes da pandemia é remotíssima, porque 65% dos alunos não têm mais interesse no modelo anterior”, declarou o presidente do Sindicato das Entidades Mantenedoras dos Estabelecimentos de Ensino Superior da Bahia (Semesb), Carlos Joel. Estudantes ouvidos pelo CORREIO, no entanto, se queixaram de déficit no aprendizado com as aulas somente no modelo virtual.

Uma das poucas a utilizar o modelo semipresencial, autorizado desde outubro de 2020, é a Faculdade Baiana de Direito. “Acreditamos que estar em ambiente de sala de aula é importante para a formação do aluno”, afirmou diretora acadêmica de lá, Ana Carolina Mascarenhas.

Bolsonaro faz distorções em discurso na ONU e ministro é contaminado
A passagem na comitiva brasileira por Nova York, onde aconteceu a Assembleia da ONU durante a semana passada, foi histórica. Mas não pelos melhores motivos. Como é tradição, o presidente do Brasil abriu os trabalhos no primeiro dia do evento. Quem esperava um discurso num tanto moderado de Jair Bolsonaro, na última terça-feira, viu mais do mesmo. Literalmente,

O presidente usou frases de efeito já utilizadas em outras assembleias, voltou a defender o ineficaz tratamento precoce contra a covid, criticou o lockdown e distorceu dados sobre o valor do auxílio emergencial, os incêndios na Amazônia e no Pantanal e o investimento no país no 1º semestre de 2020. 

Além disso, Bolsonaro foi o único dos 20 chefes de estado a não se vacinar contra a covid. Por isso, uma churrascaria precisou improvisar um puxadinho do lado de fora para que ele e a comitiva pudessem se alimentar, já que era proibido entrar no restaurante sem imunização completa.

Para finalizar, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, após mostrar o dedo médio para manifestantes, e o deputado Eduardo Bolsonaro testaram positivo para covid. O primeiro ficou em Nova York, em quarentena, e só voltará ao Brasil em outubro.
***

Mortes e casos relacionados à covid têm alta; feriado seria o culpado
A semana foi de comemoração pelo avanço da vacinação em Salvador, afinal 100% das pessoas acima dos 35% tomaram ao menos uma dose ou dose única. Os índices de ocupação de UTIs parecem estáveis. Mas como todo vírus, o SarsCoV2 - e suas variantes - segue à espreita, esperando vacilos e aglomerações para infectar e matar as pessoas.

De quinta-feira (23) para sexta (24), o país teve o terceiro dia seguido de alta na média móvel de mortes por covid nos últimos 7 dias, após mais de 3 meses em queda ou estabilidade. A explicação seria de que a comparação atual é com a semana do feriado de 7 de setembro, quando as notificações de mortes foram menores. 

A alta também aconteceu na média móvel de novos casos registrados, também em três dias consecutivos e com percentagens bem maiores. Nesse caso, a alta seria por conta dos mais de 150 mil casos represados adicionados pelos estados do Rio e de São Paulo na última semana. De qualquer forma, a população precisa seguir alerta. 

***

Patroa - A empresária Melina Esteves França, investigada por agredir a babá que pulou de um prédio, foi indiciada por ameaça, lesão corporal , cárcere privado qualificado - em relação aos maus-tratos - e redução a condição análoga à de escravo. As penas variam de dois meses a oito anos de prisão em caso de condenação.

Caro-ru - Setembro vai chegando ao fim e, mesmo com a justa desculpa da pandemia, os carurus têm sido raros na capital baiana. Também pudera: alguns alimentos usados nos pratos subiram até 140% de um ano para cá, como o feijão fradinho. 

***

Manifestação pelo padre
A renúncia repentina do padre  Fernando de Almeida Silva, ex-pároco da Paróquia Sant'Ana de Catu, gerou revolta nos fiéis do município. Eles alegam que ele foi punido de maneira desproporcional por permitir que fiéis leigos fizessem a oração eucarística. Teve manifestação na porta da igreja. A Diocese de Alagoinhas nega pressão pela saída dele.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas