Roger explica uso de atletas do principal no Baiano: 'Hierarquia'

e.c. bahia
23.07.2020, 18:52:00
Atualizado: 23.07.2020, 19:05:35
Roger observa desempenho do Bahia durante partida contra o Atlético, em Pituaçu (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Roger explica uso de atletas do principal no Baiano: 'Hierarquia'

Treinador analisou as dificuldades apresentadas pelo Bahia na derrota para o Atlético

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com dois jogos em menos de 24 horas, a escalação do Bahia na derrota por 1x0 para o Atlético de Alagoinhas, na tarde desta quinta-feira (23), chamou a atenção. Jogadores que atuaram em parte do duelo contra o Náutico, na noite da quarta (22), em Pituaçu, pela Copa do Nordeste, voltaram a entrar em campo. 

Foi o caso de Elton, Marco Antônio e Nino Paraíba - que marcou um dos gols na goleada por 4x1 sobre o Náutico -, trio titular diante do Carcará. Ao final da partida, o técnico Roger Machado explicou a utilização desses jogadores e o motivo para ter deixado no banco atletas que vinham se destacando no Baianão antes do início da pandemia. 

"A opção foi colocar aqueles que, na hierarquia do grupo principal, estavam à frente desses jogadores e eram minha opção para determinado momento da partida. Foi opção técnica, tática e da gestão de elenco que eu tenho", justificou Roger. 

"As escalações e alternativas foram motivadas por aqueles que estiveram em campo na noite anterior, para dar ritmo para alguns jogadores que a gente acha necessário, ter um time competitivo. Não dá para avaliar dois eventos distintos sob a mesma perspectiva", continuou o treinador. 

Sobre a partida contra o Atlético, Roger destacou que o estilo de jogo do Carcará impediu uma melhor atuação do tricolor. O Bahia não conseguiu furar a marcação atleticana e acabou levando o gol de Magno Alves no início do segundo tempo.

A derrota por 1x0 tirou do Esquadrão a invencibilidade e a liderança no estadual. O Bahia foi ultrapassado pelo Jacuipense, que soma os mesmos 15 pontos, mas leva vantagem no saldo de gols. 

"As poucas oportunidades de gol se devem a um adversário bem posicionado defensivamente que tirou os espaços e tentava contra-atacar em velocidade. As oportunidades que nós criamos foram em velocidade pelos lados, porém com uma defesa bem posicionada a gente não conseguiu muitas oportunidades e chances de finalizar de dentro da área. Algumas chances foram individuais, outras bloqueadas, mas o jogo em si foi de poucas oportunidades em função do estilo de jogo do adversário", disse Roger.

O treinador tricolor não vai ter muito tempo para assimilar o que o seu time apresentou no Baianão. Nesta sexta-feira (24), o Bahia faz o último treino antes da partida contra o Botafogo-PB, no sábado (25), em Pituaçu, válida pelas quartas de final da Copa do Nordeste. Já no domingo (26), o time volta a atuar pelo Baianão, quando recebe o Fluminense de Feira na última rodada da fase classificatória.   

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas