Salvador, a capital voluntária

artigo
12.12.2017, 06:03:00
Atualizado: 12.12.2017, 14:22:13

Salvador, a capital voluntária

Tia Eron é secretária de Promoção Social e Combate à Pobreza de Salvador e deputada federal licenciada

A melhoria da qualidade de vida dos seres humanos, sobretudo aqueles que estão em situação de vulnerabilidade social, não é fruto de uma ação isolada, externa e/ou pontual. Ao contrário, pressupõe um conjunto de ações interligadas e em diferentes dimensões, envolvendo diversos sujeitos e diversos segmentos da sociedade.

Afinal, as transformações sociais são possíveis quando são combinadas com estratégias de mobilização e monitoramento de forma colaborativa, participativa e democrática. É com esse entendimento, que a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) assume como uma de suas prioridades a implantação de um Programa de Voluntariado colaborativo e comprometido com a melhoria dos indicadores sociais intitulado Salvador – Capital Voluntária.

O voluntariado permite uma maior penetração dos serviços sociais e tem como grande diferencial o baixo custo. Realizado através do trabalho voluntário, é o conjunto de ações de interesse social e comunitário em que toda a atividade desempenhada reverte-se em benefício dos menos favorecidos.

Por ser realizado sem recebimento de remuneração ou lucro, é uma ação de prestígio social, pois o voluntário ajuda quem precisa, contribuindo para um mundo mais justo e mais solidário. O voluntariado é, portanto, uma oportunidade excepcional para a prática do bem e da solidariedade.

O Programa Salvador - Capital Voluntária foi lançado publicamente no dia 10 de novembro de 2017, em um grande evento que contou com a presença do prefeito de Salvador, ACM Neto, de representantes de entidades religiosas e organizações sociais, bem como da sociedade civil.

Espera-se com esse programa promover uma significativa mobilização social no município, através do cadastro  de dez mil voluntários e duzentas entidades voluntárias para causas de relevante interesse social, gerando impactos positivos na sociedade, até o ano  2020.

A meta é transformar Salvador na capital brasileira do voluntariado, através da integração e sinergia entre o poder público e a sociedade civil organizada, bem como entre entes e entidades voluntários, capitalizando e gerenciando projetos, ações e atividades voluntárias no município de Salvador.

O programa prevê ainda a criação de uma plataforma digital (sítio eletrônico) para cadastro de entes e entidades que desejam realizar atividades voluntárias em Salvador, bem como de projetos e ações de voluntariado existentes no município; a instalação do voluntariômetro, ou seja, de um contador digital que será instalado em uma praça de grande circulação de Salvador e que divulgará para a sociedade as horas de trabalho voluntário do programa; e a certificação de entes e entidades com o Selo Sou do Bem, em reconhecimento aos voluntários com as melhores práticas.

Nessa perspectiva, o Programa Salvador – Capital Voluntária visa mobilizar, engajar e orientar entes e entidades que estejam interessados em somar esforços na atuação consciente e responsável com relação às ações sociais da Semps, voltadas para a população em situação de vulnerabilidade.

Dentro do programa, o voluntário realizará suas atividades com base e em conformidade com a Lei Federal n° 9.608, de 18 de fevereiro de 1998, não gerando vínculo empregatício nem remuneração de qualquer tipo, devendo, para tanto, assinar Termo de Adesão ao Serviço Voluntário correspondente. Interessados poderão se vincular ao Programa Salvador – Capital Voluntária através do portal capitalvoluntaria.salvador.ba.gov.br.