Salvador pra o mundo: conheça os soteropolitanos que bombam na rede

bazar
29.03.2018, 05:50:00
Ana Tavares inspira milhares de pessoas no Instagram (Reprodução/Instagram)

Salvador pra o mundo: conheça os soteropolitanos que bombam na rede

As circunstâncias apontam: a influência do digital é real

Eis aqui um fato: soteropolitano gosta de fazer e acontecer. E não há terreno que fique imune à tanta malemolência. Eles romperam as fronteiras do ‘país’ Salvador e foram se botar, também, nas redes sociais. Mas não é negócio de selfie, não. O povo gosta é de clicar as belezas e registrar os encantos da cidade, que vão desde as ruas até o baianês - nosso idioma particular. Bateu certo. Turista, que não é besta nem nada, aproveita pra se informar. E conterrâneo, que às vezes dorme no ponto, redescobre sua própria cidade.

Adriana Oliveira era uma das que dormia. A administradora é baiana da gema, da casca e do ovo: nascida e criada na terra do dendê. Sempre manteve uma relação fiel com o Porto da Barra, seu ponto turístico favorito. Porém, quando viu a foto de Ana Tavares (@aninha_pt, no Instagram), achou que era Caribe, de tão transparente que era a água. A ilusão durou cinco segundos, só o tempo dela enxergar ‘Farol da Barra’ na localização. “Fiquei chocada que era aqui, frequento há anos e nunca reparei naquele lugar”, conta ela, que largou de mão seu antigo amor e agora só estende sua canga em areias (quase) caribenhas.  

Aninha desfrutando do seu ponto turístico favorito em Salvador (Foto: Reprodução/Instagram)

Daniel Bovolento também demorou pra se ligar. Há dois anos, o escritor saiu de São Paulo para Salvador na cara e na coragem, sem procurar informações. O resultado era óbvio: não ouviu conselho, ouviu coitado. “Não pesquisei, não sabia onde ficava nada, me guiei só pelo [aplicativo] Google Maps. Acabei sendo assaltado, fiquei perdido”, admitiu. Porém, no início desse ano, ele resolveu voltar. E nada de ser menino amarelo. Dessa vez, ele correu atrás de perfis soteropolitanos para lhe ajudar a desbravar a capital.

Em sua segunda visita, Daniel conseguiu aproveitar o melhor da capital baiana (Foto: Reprodução/Instagram)

“Usei minhas redes sociais e fui atrás de moradores e blogueiros locais. Foi uma experiência totalmente diferente. Quando a gente fala de planejamento, as redes sociais ajudam muito. Turista tem um olhar muito diferente, mas quem mora aí sabe muito mais”, opinou.

As circunstâncias apontam: a influência do digital é real. Esses moradores, através da internet, aproximam a cidade das pessoas.

Matando a cobra e mostrando pau
Só no Instagram, são quase cinco milhões de marcações com a hashtag #Salvador. No Facebook, a capital tira uma onda ainda maior: 14 milhões, segundo a ferramenta Google Trends. “A relação entre redes sociais e turismo é direta. Esses perfis vendem os destinos, influenciam na experiência de compra e isso tem crescido muito. Queremos conteúdos novos que ajudem a promover a cidade”, comenta Cláudio Tinoco, secretário municipal de Cultura e Turismo (Secult). Os assuntos que mais se destacam, segundo a afinidade dos usuários, são ecoturismo, praia, gastronomia, carnaval e museus.

As praias de Salvador são uma das atrações favoritas dos turistas (Foto: Reprodução/Instagram)

Tem mais: por meio da ferramenta de monitoramento e inteligência artificial, Stilingue, Salvador teve 122 mil menções nos últimos 12 meses. Essas menções foram feitas, principalmente, através de redes sociais como Instagram (30%) e Youtube (8%), além de portais de notícias (25%) e blogs (8%). E nada disso está passando batido pela prefeitura. “Estamos acompanhando todo esse processo. Isso está no eixo da cadeia criativa, temos um potencial muito grande. Salvador está saindo na frente”, observa Tinoco.

A Casa Salvador foi inaugurada em março (Foto: Divulgação)

Com sair na frente, entenda contratar os serviços da GRI, uma empresa de monitoramento que informa como Salvador está sendo citada e vista nas redes. “Conseguimos online, em tempo real, saber a experiência do turista”, explica o secretário. Todo esse engajamento se transformou em dois grandes empreendimentos: a Casa Salvador, um mega estúdio destinado exclusivamente à produção local de blogueiros baianos, inaugurada no dia 12 deste mês, e a agência digital - que ainda está em construção e deve começar a funcionar em abril. Quando isso acontecer, Salvador será a primeira cidade do país a ter uma agência de marketing digital exclusiva. “Não é nada empírico, é tudo baseado no mercado. É inovação, isso pode se tornar um caso internacional. Sabemos quem estamos atingindo e podemos interagir com esse retorno”, completa.

Conheça os perfis soteropolitanos que levam os olhares de Salvador para o mundo.

Frases de Baiano
Uma briga homérica, bem no estilo Reginaldo Holyfield e Todo Duro. Mas no lugar de golpes, corpo a corpo, um diálogo sinuoso, carregado dessas gírias que só se ouve em Salvador. Paulo César e José Tiago pegaram no ar. Pegaram e transformaram a ideia no perfil no Twitter @frasesdebaiano, lá em 2011. Poucos meses depois migraram para o Facebook, onde botaram pra lá: 200 mil curtidas no primeiro ano. Hoje, mais de 800 mil pessoas acompanham as postagens diárias da página, que tem como principal objetivo exportar nosso axé pro mundo.

Os memes do filme Ó Paí Ó são os que mais fazem sucesso (Foto: Reprodução/Instagram)

José Tiago partiu a mil, e quem comanda o Frases de Baiano hoje, além de Paulo, é Ícaro Sukerman e Tiago Banha, ambos publicitários. “Sempre seguimos a linha do conteúdo baiano. Às vezes um meme tá bombando, mas a gente tenta enxergar como isso faz parte da gente. Nosso conteúdo preza muito pelo cultural local, principalmente de Salvador”, comenta Ícaro.

Deu pra entender o recado? (Foto: Reprodução/Instagram)

Além das frases facilmente reconhecidas pelos conterrâneos, outro traço é marcante no trabalho da rapaziada: as referências constantes à Ó Paí,Ó - que dispensa apresentações. “O filme tem um retrato muito nosso, de um olhar que não é retratado na televisão. Você chega no Pelourinho e consegue ver o filme ali, acontecendo. Isso é muito forte”, analisa Ícaro.

Onde Comer em Salvador
Comida vai muito além de necessidade: é paixão. E se o assunto é culinária soteropolitana, chame Gabriela Martinez. No coração da publicitária de 30 anos, não falta espaço para muito dendê e coentro. É dela o Onde Comer em Salvador, portal referência quando o assunto é gastronomia na capital.

Lagosta, camarão, polvo e muito tempero: salivou? (Foto: Reprodução/Instagram)

Criado no final de 2011, o blog foi o veículo que veio primeiro. Porém o maior público do OCS  hoje vem do Instagram (@ondecomeremsalvador), onde cerca de 100 mil pessoas lambem os beiços com as dicas da baiana. “Temos a política de só postar o que gostamos. Nos casos negativos, damos o feedback diretamente ao estabelecimento para que melhorem. Acreditamos que faz parte do nosso trabalho ajudar a divulgar e melhorar os serviços da nossa cidade”, comenta Gabriela.

Nem só de dendê vive o soteropolitano, né? (Foto: Reprodução/Instagram)

Com o crescimento do OCS, Gabriela consolidou seu nome e recebe inúmeros convites para provar cardápios e visitar restaurantes. Foi em uma dessas que uma barata surgiu do além. “Pousou no prato de uma convidada, mas eu nunca esqueci”, comenta.

Apesar de já ter rodado Salvador de cabo a rabo, a publicitária confessa prezar pela simplicidade. “Ambientes ao ar livre e com vista para o mar são meus favoritos”, assume.

Aninha Tavares
“Tipo turista, na própria cidade” é a frase que está no perfil do Instagram de Ana Carolina Tavares (@aninha_pt). A descrição parece concordar com a opinião da maioria dos seus 65 mil seguidores, que enchem o perfil dela com comentários apaixonados.

Olhando é difícil de acreditar, mas a jovem garante: a foto foi tirada na Barra, com a maré baixa (Foto: Reprodução/Instagram)

Estudante de engenharia civil, a jovem ama Salvador e tenta sempre capturar a cidade através de ângulos diferentes. “Eu quero enxergar coisas que ninguém vê. Passamos pelos lugares de forma automática e esquecemos de perceber a beleza”, comenta. O esforço para produzir belos cliques rendeu até uma hashtag, #AninhaInsp, onde as pessoas mostram registros inspirados nas fotos de Ana.

O point favorito de Ana é o Porto da Barra (Foto: Reprodução/Instagram)

Apesar de ter Instagram há anos, a audiência só começou a crescer em 2016, quando ela  viajou para a Chapada Diamantina. “Tirei uma foto e quando acordei ela tinha 1.400 likes, na época isso era muito. Me perguntei: ‘gente, o que aconteceu?’. Foi um crescimento gradual, não sei explicar”, destaca Ana, que confessa receber inúmeras mensagens todos os dias. A maioria, implorando pela mesma coisa: dicas de lugares.

O Rio Vermelho também é cenário comum nas fotografias de Ana (Foto: Reprodução/Instagram)

Para a alegria dos seus telespectadores, ela conta que está nos planos criar um site, onde vai reunir todas as suas indicações.

Soteropobretano
Fim de semana chegando, Verão bombando em Salvador, programação da cidade lotada. Tudo estava movimentado, menos a conta bancária do advogado Iuri Barreto. Essa, já tinha parado de se mexer há muito tempo. Desempregado, porém no auge dos 23 anos e querendo curtir, ele resolveu correr atrás de programas bacanas e gratuitos. Depois, pensou em reunir todas essas dicas em um lugar só. Assim nasceu o Guia de Sobrevivência do Soteropobretano, que já une quase 200 mil pessoas no Facebook (Guia do Soteropobretano) e Instagram (@soteropobretano). 

No Guia do Soteropobretano não faltam fotos bonitas da capital (Foto: Reprodução/Instagram)

Com isso, o tempo para atualizar o guia é curto, mas ele não pensa em abandonar. “Não consigo conciliar, semana passada estava fora de Salvador e não deu pra postar nada. Fiquei sem atualizar. Quando dá, posto em horário de almoço ou de noite. No tempo livre tento sair e coletar o máximo de informação pra postar ao longo da semana inteira, já que fico preso no escritório”, relata. Para Iuri, é importante ter autenticidade, já que muitas marcas correm atrás em busca de divulgação. Ele conta que tudo que está ali passa por uma análise. Ele é enfático, repete e fala pausadamente: tu-do. “Eu avalio muito de parcerias, nem sempre aceito. Tem blog pra isso, não é meu caso. Se não o Soteropobretano perde a essência”, sustenta. Hoje, aos 29, o jogo de Iuri virou. Ele caminha por três áreas de trabalho diferentes: marketing, turismo e direito.

Vai um camarão aí? Além de passeios, o Guia do Soteropobretano é recheado de dicas gastronômicas (Foto: Reprodução/Instagram)

Apaixonado por Salvador, o advogado confessa que se emociona quando vê o mar e fica feliz com uma ida à Avenida Sete. “Parece clichê, mas é verdade”, completa. Então, se alguém veio pra Salvador e não gostou, será que veio errado? Ele garante que não. “Errada era a pessoa. Ela que precisa mudar, amadurecer, mudar seu olhar em relação ao mundo”, declara.

Se Essa Rua Fosse Minha
Duas amigas com um amor em comum: histórias. Não essas de livros e filmes, mas a história que está escrita nas esquinas das ruas. Há 6 meses, a paixão das publicitárias Ive Deonísio e Luriana Moraes se transformou no Instagram Se Essa Rua Fosse Minha (@seessarua_fosseminha). “Entendemos que a gente tinha um propósito em comum, que é incentivar as pessoas a sair de casa e conhecer a própria cidade”, conta Ive.

O principal objetivo do Se Essa Rua Fosse Minha é mostrar as ruas e contar histórias (Foto: Reprodução/Instagram)

Apesar de retratar essas histórias em uma plataforma de imagens, o trabalho das meninas também valoriza os textos. As legendas costumam ser longas e cheias de detalhes sensíveis. “Os textos misturam as nossas impressões à história do local. Relatar um pouco do que a gente vive é a forma que encontramos para inspirar o outro a calçar o tênis e explorar as mil coisinhas que a cidade tem para oferecer”, comenta Ive. Já para Luriana, a prática é diretamente relacionada à sua profissão. “Eu sou redatora, então ler e escrever me acompanha tem muitos anos”, confessa.

Ive e Luriana não perdem a oportunidade de bater perna por aí (Foto: Reprodução/Instagram)

Nesse semestre de existência, o perfil já soma 10 mil seguidores. A foto que fez mais sucesso no SERFM é um registro de um grafite da Mulher de Roxo, lá na Baixa dos Sapateiros.

Belezas do Subúrbio
Se jogar ponto turístico e Salvador na mesma frase, é certo que Farol da Barra, Pelourinho e Mercado Modelo serão citados. Mas pra Anderson Simplício, a beleza da capital se estende para muito além do óbvio. Quando o assunto é cartão postal, no topo das suas preferências, o Subúrbio Ferroviário tem lugar cativo. E de lá, parece que não vai sair tão cedo.

A praia de São Tomé de Paripe é uma das favoritas de Anderson (Foto: Reprodução/Instagram)

Os motivos são vários. Praias encantadoras, pôr-do-sol digno de protetor de tela do celular e arquitetura quase europeia. Se piscar, corre o risco de achar que está em Paris. Mas a recomendação é manter olhos bem abertos para apreciar cada detalhe. “O Subúrbio tem muito potencial, mas pouca gente conhece. Tem gente que não sabe nem que existe. Parece que Salvador é uma cidade e o Subúrbio é outra”, lamenta ele, que quando não exerce a função de fotógrafo, trabalha como assistente fiscal no Hospital São Rafael.

Dono da página Belezas do Subúrbio, que soma 159 mil curtidas no Facebook e 20 mil seguidores no Instagram (@belezas.suburbio), o rapaz tem como principal objetivo mostrar o que existe de melhor na região. Além das belas paisagens, outro ponto forte são os restaurantes. “Estou sempre procurando me informar, ver se tem comida boa, algo diferente, que fuja da mesmice. Gosto de buscar a história do dono do restaurante, saber como tudo nasceu”, comentou Anderson. Para ele, a caçada gastronômica lhe trouxe sua maior conquista. “Conquistei vários quilos a mais!”, brinca.

O pôr do sol de Paripe é, para Anderson, um dos mais lindos da Bahia (Reprodução/Instagram)

O amor pelo Subúrbio, no entanto, não é de longa data: 6 anos é o tempo exato. Mesmo tempo que ele tem de relacionamento com Taiane, com quem divide as escovas de dente em Periperi. Coincidência? Nada disso. Foi ela quem arrastou o rapaz pra lá e o arrancou de Pau da Lima, onde ele morava desde guri. “Isso aqui me encanta, principalmente as pessoas. A gente sabe ser feliz, sabe viver”.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas