São Paulo Fashion Week propôe olhar para o futuro

Moda
21.03.2017, 06:00:00

São Paulo Fashion Week propôe olhar para o futuro

Principal semana de moda do país chega à sua 43ª edição promovendo discussões sobre criatividade, tecnologia e consumo

Se na temporada anterior, o São Paulo Fashion Week falou sobre transformação, dessa vez o evento, que terminou anteontem, convocou as pessoas para saírem “da letargia de um passado sem volta”. “Estamos diante de uma era de mudanças e que só tende a acelerar com os avanços trazidos pelas novas tecnologias e suas implicações sobre sistemas e modelos de negócios”, disse o evento em comunicado. “A mudança é inevitável. Estamos construindo o futuro e aprendendo juntos”, afirma Paulo Borges, diretor criativo e idealizador do evento.

Desfile comemorativo da Ellus na SPFWn43, com modelos de todas as idades e esquema de vendas “see now, buy now” como destaque: mais marcas com coleções comerciais (Fotos: Ag. Fotosite/Divulgação)


Compre já 
A transformação mais radical, e que já vinha rolando desde o SPFWn42, é o “see now, buy now”  (“veja agora e compre já”). O modelo de consumo é reflexo do acesso imediato à informação e vai de encontro ao formato de negócios de parte do mercado. Marcas como Reinaldo Lourenço e Glória Coelho pularam essa edição para se adequarem. Outras, como Animale, fizeram desfile dentro da loja. “Me adapto bem a esses novos movimentos. Tô adorando fazer isso, que é muito interessante, junto com as mídias sociais. E faz todo sentido. Hoje a imagem chega muito rápido às clientes”, avalia Vitorino Campos, que mais uma vez assinou a coleção da Animale e desfilou sua marca própria.

Cabou tendência 
Um outro efeito do see now, buy now é o fim da moda conceitual. Se antigamente chamar uma coleção de comercial era uma ofensa, hoje é um elogio ao estilista, que soube traduzir o desejo coletivo em produtos que devem prezar pela qualidade e acabamento.

Novos 
A saída temporária de Reinaldo e Glória, além de Ronaldo Fraga, Iódice e Helo Rocha, abriu espaço para o novo. Seis estreias marcaram essa temporada: Alexandrine (com Dinho Batista), A.Niemeyer, Tig, Two Denin, Fabiana Milazzo e Sissa, sem falar da Memo (com Lilly Sarti) e LAB, que fizeram seus segundos desfiles. Foram 31 coleções apresentadas em cinco dias, a maioria no prédio da Bienal.

Diversidade 
Esse foi o mote de alguns desfiles, como o da Ellus, que celebrou 45 anos numa retrospectiva emocionante e provocativa, com direito a modelos de várias gerações, como Jorge Gelati, que aos 57 anos e com cabelos grisalhos, fez o público suspirar.

Baianas
Bate-papos e pocket shows movimentaram a Praça Natura. Entre os participantes esteve a produtora cultural e estilista Loo Nascimento, que falou sobre as belezas brasileiras. Na passarela, outras quatro baianas se destacaram. Direto de Paris, Ana Flavia foi disputada (entrevista na página a seguir). Exclusiva da Prada, Barbara Valente desfilou para Ellus, Lilly Sarti, 2nd Floor e Amir Slama. Liza S esteve em metade das passarelas e Lorraine Cruz foi reservada para À La Garçonne e LAB Fantasma, do rapper Emicida.


* A jornalista viajou à São Paulo à convite da organização do SPFW

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas