'Se o povo quiser, a gente vai ter que manter', diz Márcio Victor sobre Arrastão

salvador
13.09.2019, 13:21:00
Atualizado: 13.09.2019, 13:27:36
(Arquivo CORREIO)

'Se o povo quiser, a gente vai ter que manter', diz Márcio Victor sobre Arrastão

Cantor diz que festejo surgiu de vontade popular e que cabe a ele decidir se continua

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O cantor Márcio Victor, do Psirico, falou nesta sexta-feira (13) sobre a polêmica do fim do arrastão na Quarta-Feira de Cinzas, após projeto de lei aprovado pela Câmara de Vereadores de Salvador. Durante um evento da Skol para falar da volta do palco Pagodão ao Salvador Fest, nesse final de semana, Márcio não se furtou a comentar o caso e disse que cabe ao povo decidir se chegou a hora de acabar com o já tradicional arrastão.

"É da vontade do povo. Se o povo tá lá é porque o povo quer", diz. "Há 18 anos, Brown começou essa festa, que tem uma retribuição para quem trabalha e não tem condições de acompanhar os artistas que gosta no trio durante o percurso porque aproveita para ganhar uma grana. Então por que acabar? Se o país da gente é um estado laico, onde respeitamos todas as religiões?", questiona.

Para Márcio, os políticos e o povo baiano têm outros assuntos mais urgentes para discutir. "Acho que tem questões mais importantes para se preocupar. Saneamento básico, cultura, não pode ter corte na cultura, nem aos professores, que merecem ganhar mais. A polícia merece ganhar mais. A gente deve se preocupar com esses assuntos. Sobre o Carnaval, a gente conversa com o povo e vê o que o povo quer", afirma. "Se o povo quiser, a gente vai ter que manter. Se o povo não quiser, aí termina", finaliza.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas