'Se tornou histórico': 10 cães e gatos aparecem mortos em Rio de Contas

bahia
25.04.2021, 18:03:00
Atualizado: 25.04.2021, 19:05:59
Carne com chumbinho encontrada em Rio de Contas e Fulaninha, um dos cachorros encontrados mortos (Montagen/Divulgação)

'Se tornou histórico': 10 cães e gatos aparecem mortos em Rio de Contas

Ano passado, foram 25 animais mortos com sinais de envenenamento

Na madrugada do dia 5 de abril, Fulaninha, uma cadela conhecida pelo nome na cidade de Rio de Contas, na região da Chapada Diamantina, apareceu morta. Fula, como também era chamada, era dócil, dada a carinhos. Até onde sabiam os moradores que a tinham como uma cadela comunitária, não apresentava nenhum problema de saúde que justificasse uma morte assim, tão repentina. Desconfiaram logo de envenamento. Só neste ano, protetores de animais da cidade calculam que dez cães e gatos, ao todo, tenham sido mortos.

A morte de Fulaninha, marcante pela fama dela no município, acendeu o alerta para uma questão que tem se tornado tradicional na cidade: volta e meia, em Rio de Contas, onde vivem 12,9 mil pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, aparece um animal morto. Ano passado, foram 25 cães e gatos encontrados sem vida.

"Isso é histórico, como se fosse algo cultural da cidade. As pessoas falam com a maior naturalidade de animais que são mortos", relatou uma moradora, sob anonimato. 

O envenamento e assassinato de animais é crime passível de prisão. Em Rio de Contas, ninguém foi preso ou enquadrado como suspeito pelas mortes. A morte de Fulaninha e dos outros 34 animais nunca foi, de fato, elucidada. 

Os animais costumam surgir, sem sinais vitais, ao nascer do dia. Há suspeita de que os envenamentos pelo raticida chumbinho, cuja venda é proibida legalmente no Brasil, ou "bola" - junção de remédio com vidro ingerida pelo animal - sejam realizados à noite. "Nossa suspeita é de que joguem venenos até pelos muros das casas", narrou outra moradora. 

O problema da matança dos animais já chegou até a Prefeitura e à Delegacia de Rio de Contas. Mas, ainda não houve nenhuma resolução dos casos. Na manhã do último sábado (14), duas pessoas que não quiseram ser identificadas pela reportagem econtraram, próximo a uma praça do município, um pedaço de carne com chumbinho dentro. A descoberta intensificou as suspeitas de que os animais sejam vítimas de uma campanha de envenenamento. 

No dia anterior, um cachorro vítima de maus-tratos foi resgatado da casa de um morador, em Rio de Contas por policiais e levado para um abrigo de animais na cidade. A Prefeitura de Rio de Contas foi contatada pela reportagem, mas não respondeu até o fechamento da publicação. A Delegacia do município não atendeu às chamadas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas