Secretário de Luís Eduardo Magalhães foi morto com 13 facadas, diz delegado

bahia
19.10.2020, 18:16:00
Atualizado: 19.10.2020, 18:17:42

Secretário de Luís Eduardo Magalhães foi morto com 13 facadas, diz delegado

Corpo de Alexandre foi encontrado em seu carro no último sábado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Alexandre tinha 53 anos (Foto: Reprodução/Instagram)

Dois dias após o assassinato do secretário de Cultura e Turismo de Luís Eduardo Magalhães, Oeste da Bahia, os investigadores seguem com mais perguntas que respostas. Alexandre Vieira Ribeiro, que tinha 53 anos, foi encontrado morto em seu carro na manhã do último sábado (17).

De acordo com o delegado da polícia civil que investiga o caso, Rivaldo Luz, a principal novidade até o momento é a confirmação de que a faca encontrada ao lado do corpo da vítima foi a arma do crime. A perícia também confirmou que o secretário foi morto com 13 facadas.

"Também percebemos que além do secretário, tinha sangue de uma outra pessoa dentro do veículo, mas ainda não conseguimos identificar de quem é", revelou o delegado ao CORREIO.

Na manhã desta segunda-feira (19), a viúva e as filhas de Alexandre foram ouvidas, mas o depoimento não rendeu informações que levem ao autor do crime. Não está descartado que o crime tenha ocorrido por motivação política, mas o delegado avalia que esta possibilidade é remota.

"Ele era alguém que não tinha inimigos. Todos da cidade tinham ele como uma pessoa do bem, sem encrenca com nada. A gente não descarta nada, mas é prematuro falar em crime político. Mas, pela forma como ocorreu, imaginamos que esta não foi a motivação", diz o delegado.

Trajeto incomum
Para ajudar a solucionar o caso, os investigadores estão observando câmeras de segurança para desenharem o trajeto feito pelo secretário. Em uma dessas câmeras, no bairro Boa Vista, o carro apareceu duas vezes, às 1h45 e 2h12 da madrugada de sábado (17).

"Este é um trajeto incomum, pois é uma estrada que dá em um terreno isolado. Por isso, suspeitamos que o autor do crime já estava dentro do carro do secretário neste momento", avalia o delegado.

O secretário era casado e tinha dois filhos. Antes de ser o titular da pasta, Alexandre foi coordenador da Secretaria de Educação da cidade entre 2017 e 2020. 

Em nota, a prefeitura de Luís Eduardo Magalhães informou que decretou luto oficial de três dias. 

"Alexandre tinha 53 anos e deixa um legado de serviços prestados, ensinamentos altruísticos e solidários para a nossa comunidade e de muitos amigos e admiradores de sua criatividade e do seu amor pela arte e pelo seu trabalho, sendo um artista conhecido e premiado nacionalmente", afirma a prefeitura, no comunicado. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas