Sem máscara, mulher é agredida e expulsa a chutes de ônibus na Estação Pirajá

salvador
06.05.2020, 17:14:00
Atualizado: 06.05.2020, 21:47:31

Sem máscara, mulher é agredida e expulsa a chutes de ônibus na Estação Pirajá

Equipamento é obrigatório em Salvador desde 23 de abril; agressor ainda não foi identificado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma mulher foi agredida e expulsa a chutes de um ônibus na região da Estação Pirajá. O caso aconteceu nesta quarta-feira (6) e foi registrado por um vídeo da câmera de segurança do coletivo. Nas imagens, é possível ver passageiros revoltados com o fato da mulher estar sem máscara e a desproporcional reação de um deles, que comanda os ataques. Tanto o agressor quanto a vítima ainda não foram identificados.

A Polícia Militar informou que tomou conhecimento da situação pela imprensa e que enviou uma equipe da 48ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Sussuarana) por volta das 13h30 para averiguar a situação. "No entanto, após realizar rondas e buscas no local a procura dos envolvidos, ninguém foi encontrado", disse a corporação, por meio de nota.

A máscara é de uso obrigatório em Salvador desde o dia 23 de abril, quando foi publicado um decreto no Diário Oficial do Município (DOM) prevendo a possibilidade de os passageiros sem o equipamento terem o acesso proibido.

No vídeo, um homem mais exaltado empurra a mulher para fora do veículo a chutes e puxa a mão dela de uma das barras de ferro do coletivo, para que ela não retorne. Aos gritos, ele manda ela tirar o pé da porta, para que o motorista possa fechá-la e seguir viagem. Um homem que está na rua tenta conter a mulher e retirá-la da entrada lateral do ônibus.

Na confusão, outros passageiros gritam e pedem para que o motorista vá logo embora com o coletivo, que seguia da Estação Pirajá para a Mata Escura.

O Consórcio Integra, empresa que administra o transporte público de Salvador, informou que a mulher agredida entrou no ônibus usando máscara e, após passar pela catraca, resolveu tirar o equipamento de proteção. Alguns passageiros ficaram revoltados, alegaram medo de contaminação pelo novo coronavírus e pediram que ela colocasse novamente a máscara, o que não foi feito. Diante da recusa, ela acabou agredida e expulsa do veículo pelos próprios passageiros.

Assim como a Intregra, a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) afirma que a usuária agredida acessou o coletivo usando máscara de proteção respiratória. Entretanto, a pasta informa que a confusão  aconteceu após a passageira retirar a proteção para tossir, o que causou  pânico  nas pessoas que utilizavam  o transporte, segundo testemunhas. "O Órgão ressalta que nada justifica a agressão praticada no interior do coletivo", pontuou em nota.

A Semob informa ainda que, desde que passou a ser obrigatório o uso de máscaras nos coletivos, o acessório vem sendo distribuído pelo Município nas ações educativas e de fiscalização realizadas nas estações de transbordos e nos principais corredores de transporte da cidade. De acordo com a pasta, já foram distribuídas mais de 20 mil máscaras aos usuários do transporte público.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas