Senador Randolfo Rodrigues protocola pedido de abertura de CPI do MEC

brasil
28.06.2022, 13:09:00
(Reprodução)

Senador Randolfo Rodrigues protocola pedido de abertura de CPI do MEC

Criação ainda depende do presidente da Casa; veja quem assinou pedido

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou nesta terça-feira (28) o requerimento para instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar denúncias de corrupção e tráfico de influência no Ministério da Educação (MEC). Para a CPI começar, é preciso que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), leia o documento em plenário.

A criação da comissão foi discutida depois que o ex-ministro Milton Ribeiro foi preso em uma operação da Polícia Federal que investiga irregularidades no uso das verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), quando ele estava à frente da pasta. Ribeiro foi solto, mas segue sendo investigado.

O regimento do Senado prevê que para pedir abertura de uma CPI, é preciso ter um requerimento assinado por pelo menos 27 senadores - ou seja, um terço da Casa. O documento deve indicar também o fato a ser investigado, número de integrantes, prazo de duração e limite de despesas.

Veja os senadores que assinaram o pedido:

  • Randolfe Rodrigues
  • Paulo Paim
  • Humberto Costa
  • Fabiano Contarato
  • Jorge Kajuru
  • Zenaide Maia
  • Paulo Rocha
  • Omar Aziz
  • Rogério Carvalho
  • Reguffe
  • Leila Barros
  • Jean Paul Prates
  • Jaques Wagner
  • Eliziane Gama
  • Mara Gabrilli
  • Nilda Gondim
  • Veneziano Vital do Rego
  • José Serra
  • Eduardo Braga
  • Tasso Jereissati
  • Cid Gomes
  • Alessandro Vieira
  • Dario Berger
  • Simone Tebet
  • Soraya Thronicke
  • Rafael Tenório
  • Izalci Lucas
  • Giordano
  • Marcelo Castro
  • Confúcio Moura

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas