Sumido desde março, Mestre Lourimbau se curou de grave tuberculose

salvador
03.07.2020, 15:39:00
Atualizado: 03.07.2020, 16:06:31

Sumido desde março, Mestre Lourimbau se curou de grave tuberculose

Berimbalista foi localizado nessa quinta; ele correu risco de morte, mas reagiu bem ao tratamento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Mestre Lourimbau está internado no Hospital Octávio Mangabeira, no Pau Miúdo; amigos fazem campanha para ajudá-lo (Foto: Reprodução/Carlos Deiró/Facebook)

O berimbalista Lourival Santos Araújo, o Mestre Lourimbau, 72 anos, está curado de uma tuberculose. Internado no Hospital Especializado Octávio Mangabeira (HEOM) desde o final de março, ele tinha sido considerado desaparecido por familiares.

Segundo o CORREIO apurou com uma fonte da unidade de saúde, Lourimbau deu entrada no hospital como morador de rua. Vestido com roupas rasgadas e sujas, ele recebeu doações de roupas e itens de higiene de outros pacientes. Havia uma suspeita de que o berimbalista estava com covid-19, que já foi afastada. 

Segundo um funcionário do hospital, o estado de saúde de Lourimbau era bastante delicado, mas ele teve uma reação boa aos tratamentos e está curado. "Ele escapou de morrer", disse a pessoa, que prefere não se identificar. 

Como deu entrada na unidade na condição de morador de rua, Lourimbau só pode receber alta quando estiver regulamentado para ser acolhido para um abrigo, para que não haja o risco dele voltar a morar nas ruas de Salvador, uma vez que ele tem perda auditiva e ainda está debilitado.

Para auxiliar Lourimbau, o Coletivo Babaçonha, grupo que apoia causas sociais, está recolhendo donativos. "Arrecadamos cestas básicas, alimentos e roupas para distribuir a pessoas em situação de vulnerabilidade social", disse Cláudio Deiró, uma das pessoas à frente dessa ação.

Quem estiver disposto a ajudar pode entrar em contato pelos telefones (71) 98834-9114 ou (71) 98258-4892, para combinar uma forma das doações serem entregues.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas