Suspeitos por mortes de PMs são procurados; Instituto Cigano fala em represálias

bahia
19.07.2021, 12:18:00
Atualizado: 19.07.2021, 13:36:36
(Foto: Alberto Maraux/SSP)

Suspeitos por mortes de PMs são procurados; Instituto Cigano fala em represálias

Tenente Luciano e soldado Robson foram mortos em Vitória da Conquista

As polícias Civil e Militar procuram seis pessoas envolvidas de forma direta e indireta, nas mortes do tenente Luciano Libarino Neves e do soldado Robson Brito de Matos. A informação foi repassada ao secretário da Segurança Pública, Ricardo Mandarino, nesta segunda-feira (19), durante reunião na cidade de Vitória da Conquista, onde aconteceu o crime. 

Além dos seis foragidos, outros três apontados como suspeitos foram mortos em troca de tiros com a polícia nas cidades de Vitória da Conquista e de Itiruçu, e um deles acabou preso em flagrante pelo duplo homicídio. O homem terminou ferido no braço e, após atendimento, foi autuado.

"Estou aqui para prestar toda a minha solidariedade à Polícia Militar, atingida de forma brutal por conta desse ataque covarde. Parabenizo a PM e a Polícia Civil pelo empenho na identificação e localização dos autores", declarou o secretário Ricardo Mandarino.

Ciganos falam em represália
O crime aconteceu em uma comunidade cigana no distrito de Josué Gonçalves, na zona rural de Conquista. Desde o dia, ciganos da região denunciam que são alvos de represálias. O Instituto Cigano do Brasil divulgou nota afirmando que respeita o trabalho de investigação e não compactua com o crime, mas afirmando que os ciganos da Bahia "estão sendo caçados como animais pelas milícias".

"Não compactuamos com atos ilícitos de pessoas que cometem ilegalidades e respeitamos os órgãos de segurança de nossa federação que trabalham dentro da lei", diz a nota. O texto ainda critica os órgãos de mídia que "estão generalizando atos ilícitos pessoais e associando coma s comunidades ciganas", afirmando que isso contribui para a violência. "Se tentam nos matar nos unimos para sobreviver e lutar por nossa dignidade e justiça".

Sessenta e seis lideranças ciganas assinam o texto.  A nota pública diz que "policiais vêm promovendo uma verdadeira caçada e matança junto à todas as famílias ciganas da cidade e da região". Eles elencam seis mortos e pelo menos 15 baleados, segundo relatos da mídia local, e também falam de áudios ameaçando ciganos. 

"Comunidades inteiras não podem ser criminalizadas por atos individuais. Da mesma forma entendemos que tais atitudes criminosas não representam uma corporação como um todo e reafirmamos que somos extremamente contrários a essas atitudes que legitimam a pena de morte no Brasil, visto que segundo o Código Penal os autores dos crimes devem julgados de acordo com a lei vigente no país", finalizam.

A Polícia Militar diz que não coaduna "com comportamentos que fujam à legalidade" e informou que pode-se denunciar casos do tipo pela Ouvidoria Geral do Estado, por meio do telefone 0800 284 0011, anonimamente.

Crime
Dois policias militares foram mortos a tiros na manhã da terça-feira (13) na zona rural de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano. Os dois eram lotados na 92ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM).  O crime aconteceu no distrito de Josué Gonçalves no fim da manhã. Segundo a Polícia Militar, os dois policiais tiveram as armas levadas pelos bandidos - um grupo de seis homens, de acordo as primeiras informações da Polícia Civil. As vítimas são o tenente Luciano Libarino Neves, de 34 anos, e o soldado Robson Britos Matos, de 30.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas