Taxa de desemprego fica em 13,6% no trimestre até abril

economia
31.05.2017, 09:51:00
Atualizado: 31.05.2017, 10:00:06

Taxa de desemprego fica em 13,6% no trimestre até abril

Em igual período de 2016, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 11,2%. No primeiro trimestre de 2017, o resultado ficou em 13,7%

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 13,6% no trimestre de fevereiro a abril de 2017, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados nesta quarta-feira (31), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em igual período de 2016, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 11,2%. No primeiro trimestre de 2017, o resultado ficou em 13,7%. Mas, segundo o IBGE, o resultado é a maior taxa do mesmo trimestre desde 2012, quando foi de 7,8%.

Resultado de imagem para DESEMPREGO CORREIO 24 HORAS
Desemprego atingiu 13,6% da população brasileira em abril, segundo o IBGE (Foto: Marina Silva/CORREIO)

População desempregada

O levantamento também revelou o aumento da população desocupada, que ficou em 14 milhões. Contingente que, no trimestre anterior, de novembro a janeiro, era de aproximadamente 12,9 milhões de desempregados. São 1,1 milhões de pessoas a mais sem emprego.

Assim, foi notado o crescimento de 8,7% de desocupados, em comparação ao trimestre anterior, e de 23,1% de aumento em relação ao mesmo trimestre do ano anterior - fevereiro a abril de 2016.

Renda média

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.107 no trimestre até abril. O resultado representa alta de 2,7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 183,3 bilhões no trimestre até abril, estável em relação a igual período do ano anterior.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas