Taxista é sequestrado e colocado em porta-malas na Avenida Suburbana

salvador
19.05.2019, 13:36:00
Atualizado: 19.05.2019, 16:33:51
(Denis Paim/Divulgação)

Taxista é sequestrado e colocado em porta-malas na Avenida Suburbana

Renan foi amarrado e abandonado na mala do táxi que dirige

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um taxista foi sequestrado na noite deste sábado (18), após iniciar uma corrida na Avenida Afrânio Peixoto, na Cidade Baixa. O caso ocorreu por volta das 19h. Segundo informações do presidente da Associação Geral dos Taxistas (AGT), Denis Paim, Renan de Jesus Santos recebeu a ligação de um cliente para o qual já presta serviços há aproximadamente um mês e foi buscá-lo em seu local de trabalho.

Quando seguia em direção à Avenida Contorno, o taxista percebeu que estava sendo seguido por dois carros, um branco e um de cor escura. Pouco depois, foi abordado por dois criminosos. "Quando chegou na rotatória que dá acesso pros Aflitos, o táxi foi fechado. Os dois bandidos disseram que não fariam nada com Renan e só ameaçaram o passageiro, dizendo que ele tinha que pagar o que devia. Depois, amarraram e agrediram nosso colega taxista e colocaram na mala do carro", contou Denis ao CORREIO.

Ainda segundo o presidente da associação, que acompanhou o caso, por volta das 20h30, o táxi, de modelo Chevrolet Cobalt LTZ,  foi abandonado com Renan dentro, em Massaranduba. Um pedestre que passava pelo local ouviu os gritos, percebeu que o carro estava balançando e acionou a polícia.

O CORREIO conversou com um tio de Renan, que preferiu ter o nome preservado. Segundo ele, o sobrinho não precisou de atendimento médico e está bem, embora muito assustado. O taxista, inclusive, ainda não sabe se voltará a trabalhar fazendo corridas.

O caso foi confirmado pela polícia e foi registrado no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil.

A Polícia Civil informou que as equipes estão em campo para tentar identificar e prender os autores. As investigações estão em curso e algumas pessoas foram ouvidas, entre elas, o taxista.

Segundo a AGT, só no mês de maio foram registrados 21 assaltos a taxistas. Destes, dois envolveram sequestros e quatro foram roubos de veículos - sendo que dois não foram localizados pela polícia. Recentemente, um outro taxista foi vítima, em uma ação no Iguatemi Business Center.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas