TCU cobra resposta de Manaus sobre 'pressão' do Governo Federal para uso de cloroquina

coronavírus
08.02.2021, 14:44:25
Atualizado: 08.02.2021, 14:49:42
(AFP)

TCU cobra resposta de Manaus sobre 'pressão' do Governo Federal para uso de cloroquina

A Secretaria de Saúde da capital amazonense terá 10 dias para responder questionamentos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Tribunal de Contas da União (TCU) solicitou na última sexta-feira (5) que a Secretaria de Saúde de Manaus responda se foi pressionada pelo Ministério da saúde a tratar pacientes da covid-19 com hidroxicloroquina e ivermectina. O pedido foi feito pelo ministro Benjamin Zymler, que deu o prazo de dez dias para receber a resposta.

O esclarecimento foi feito com base na decisão tomada pelo Ministério Público que solicita uma medida cautelar para que o Ministério da Saúde se abstenha de incentivar o uso de medicamentos que são ineficazes no tratamento de pacientes contaminados pelo coronavírus.

"Caso confirmada essa atuação do MS, solicita a apuração da responsabilidade dos envolvidos e a aplicação das sanções cabíveis diante do exercício das atribuições inerentes aos cargos em desencontro das finalidades a que se destinam os atos", afirma Zymler na solicitação à Secretaria de Saúde de Manaus.

De acordo com relatos de vários médicos do Amazonas, o Ministério da Saúde teria financiado uma força-tarefa de profissionais que defendem o "tratamento precoce" da covid-19. Estas pessoas teriam visitado Unidades Básicas de Saúde (UBS) em Manaus para incentivar o uso de medicamentos ineficazes no tratamento da doença. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas