Três estados emperram acordo para criar federação entre PT e PSB

satélite
13.01.2022, 05:00:00

Três estados emperram acordo para criar federação entre PT e PSB

Jairo Costa Júnior

Três entraves ainda atrapalham PT e PSB de criarem uma federação partidária com as duas siglas para a disputa eleitoral deste ano. Lideranças de ambas as legendas na Bahia apontam conflitos de interesse em São Paulo, Espírito Santo e Pernambuco como os últimos nós nas negociações entre as cúpulas petista e socialista. Da lista, a recusa do PT em abrir mão da candidatura do ex-prefeito de São Paulo ao Palácio dos Bandeirantes e apoiar o ex-governador Márcio França (PSB) é considerada a barreira mais difícil de ser ultrapassada e pode impedir que a federação se concretize. 

Virado à paulista
De um lado, o PT classifica a manutenção de Haddad no páreo como crucial para evitar o processo de desidratação do partido em São Paulo, berço da sigla. Do outro, caciques do PSB afirmam que Haddad tem teto, enquanto França, além de mais bem posicionado nas pesquisas, agrega votos do eleitorado de centro-direita insatisfeito com o longo domínio do PSDB no estado. Trunfo que, acham, o petista não tem.

Moqueca capixaba
Outra barreira está no Espírito Santo. Lá, o governador Renato Casagrande (PSB) resiste ao acordo com o PT. Eleito no primeiro turno em 2018, Casagrande credita o desempenho nas urnas à parcela de eleitores antipetistas que não embarcaram na candidatura do deputado federal Carlos Manato (PSL), à época representante do bolsonarismo na corrida pelo governo capixaba. Líderes do PSB baiano afirmam que Casagrande está convicto de que a aliança com os petistas vai prejudicá-lo. No entanto, sabe também que a filiação do senador Fabiano Contarato ao PT deve embaralhar o jogo. Contarato, ex-integrante da Rede, é tido como estrela em ascensão na política do Espírito Santo.

Bolo de rolo
A terceira pedra no caminho da federação do PT com o PSB vem de Pernambuco, onde os dois partidos travam um duelo fratricida. Recentemente, os cardeais petistas sacaram a candidatura do senador Humberto Costa na tentativa de forçar o PSB pernambucano a endossar o acordo, em troca do apoio do PT ao nome ungido pelos socialistas. O bizu é que o PSB ainda bate cabeça sobre a escolha do candidato que vai representá-lo na sucessão estadual, embora o ex-prefeito de Recife Geraldo Júlio desponte como opção natural.

Bate-volta
Réu na Operação Faroeste, o desembargador afastado José Olegário Monção Caldas ingressou com agravo regimental para reverter a decisão em que relator do caso no Superior Tribunal de Justiça, ministro Og Fernandes, negou acesso integral do magistrado a provas coletadas em uma das buscas e apreensões realizadas pela PF contra o esquema de venda de sentenças. Os advogados de Olegário alegaram cerceamento de defesa, mas Fernandes disse que a lei garante acesso ao material relativo apenas ao acusado.

Peso de ouro
Em quase quatro meses, o preço do boi gordo na capital acumula alta de 11%. No último dia 15 de setembro, a arroba estava cotada a R$ 290 em Salvador. Ontem, era vendida a R$ 326. O que certamente deixará a carne mais cara na cidade. 

No vídeo, vemos um servidor estadual cometer crime ambiental num parque público do estado que, por sinal, vive abandonado. Queremos respostas do governo estadual e da PM
André Fraga, vereador da capital pelo PV, ao comentar as cenas em que um policial militar pisoteia e mata um passarinho no Parque São Bartolomeu, em Pirajá, após abordar um morador que mantinha a ave na gaiola       

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas