'Tudo indica que foi execução', diz irmã de taxista assassinado no Barbalho

salvador
19.09.2018, 13:54:00
Atualizado: 19.09.2018, 18:20:18
Taxista perdeu controle do carro que acabou batendo no fundo de um ônibus (Reprodução)

'Tudo indica que foi execução', diz irmã de taxista assassinado no Barbalho

Crime ocorreu na Ladeira da Água Brusca, no Barbalho

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A irmã do taxista Danilo Almeida da Paixão, 28 anos, morto com um tiro no Barbalho, na noite desta terça-feira (18), acredita que o crime tenha sido uma execução. "Tiros certeiros na cabeça. Tudo indica que foi uma execução”, declarou ela ao CORREIO, na manhã desta quarta-feira (19). Por uma questão de segurança, ela preferiu não revelar o nome.

Após os disparos, o táxi - de placa OZC 9869 -  bateu no fundo de um ônibus, que estava no local. A irmã da vítima esteve no local logo depois e disse que conversou com o motorista do ônibus, que reforçou a suspeita da família.

“O motorista disse que o táxi vinha sendo perseguido, quando bateu. Em seguida, meu irmão foi baleado”, declarou ela, sem dar mais detalhes. 

A Secretaria da Segurança Pública informou que o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga a morte de Danilo, cujo corpo foi encontrado dentro de um táxi. Nenhum objeto foi levado. A polícia apura autoria e motivação. Ainda segundo a polícia, o taxista tinha sido preso em 2016 por roubo de veículo e, em 2018, com uma farda da PM na mala do carro.

Para a Associação Geral dos Taxistas (AGT), o caso seria uma tentativa de latrocínio. “Vários taxistas já foram perseguidos e tiveram os carros levados pelos ladrões. O carro dele não foi levado, porque bateu no fundo do ônibus e também o local é cheio de câmeras”, acredita Ademilton Paim, presidente AGT. 

A esposa de Danilo contou ao CORREIO que ele adorava a profissão e rodava de táxi havia quase 10 anos, ou seja, começou a trabalhar logo depois de completar a idade mínima para tirar a carteira de habilitação.

Juntos há três anos, ela contou que Danilo tinha um “carinho todo especial pelo táxi” e se preocupava muito com a limpeza e manutenção do carro. Além da esposa, o taxista também deixou um filho de 2 anos.

O corpo do taxista será enterrado nesta quinta-feira (20), às 15h, no Cemitério Bosque da Paz.

(Foto: Acervo Pessoal/Reprodução)

Ajuda para sepultamento
A família alega que uma quantia em dinheiro que pertencia à vítima foi levada após a ocorrência. Além disso, a esposa de Danilo contou que “ninguém tem acesso à conta bancária dele porque ficou tudo bloqueado. No banco dele tudo funciona com digital e não tem como movimentar nada”.

Por conta dessa situação a AGT emitiu uma nota em que informa que está realizando uma “vaquinha” para ajudar a família com o sepultamento. Os interessados em colaborar devem fazer um depósito de qualquer valor em duas contas da família - na Caixa Econômica Federal (Agência 4802, Operação 013, Poupança 2009-8, no nome de Poliana Almeida da Paixão) ou Bradesco (Agência 3551-3, Conta Corrente 18350-4, de Poliana Almeida da Paixão).

Morte
O crime aconteceu por volta das 22h30, na Travessa Vital Rego, na altura da sinaleira da Ladeira da Água Brusca, no Barbalho. O táxi bateu no fundo de um ônibus. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para socorrer a vítima, que não resistiu aos ferimentos e morreu no local. 

"A informação inicial é que ele pegou uma corrida no Pelourinho e pediram para ir para a Liberdade e não se sabe mais detalhes. O que sabemos é que o colega foi encontrado baleado com um tiro fatal na cabeça. Nas últimas 48 horas, foram sete assaltos a taxistas em Salvador. Estamos nos sentindo desassistidos pela segurança. Já são 261 taxistas assaltados esse ano", explicou Paim, destacando que esse ano foram três taxistas mortos em Salvador.

Paim disse ainda que são 261 taxistas assaltados neste ano.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas