Universitário soterrado em Fortaleza manda selfie e áudio a amigos

em alta
15.10.2019, 16:40:00
Atualizado: 15.10.2019, 19:06:38

Universitário soterrado em Fortaleza manda selfie e áudio a amigos

Antes de queda, vítima havia tirado foto de obras e citava preocupação

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto enviada por David Sampaio, debaixo dos escombros, em grupo de amigos no WhatsApp (Foto: Arquivo pessoal)

Universitário que ficou soterrado durante o desabamento do Edifício Andrea, localizado na rua Tibúrcio Cavalcante, em Fortaleza, enviou uma fotografia e um áudio informando aos amigos em um grupo de WhatsApp que estava soterrado, mas que estava sem lesões graves, apenas arranhões. O caso foi registrado nesta terça-feira, 15.

O morador fotografou a situação das colunas momentos antes de o prédio desabar
O morador fotografou a situação das colunas momentos antes de o prédio desabar (Foto: David Sampaio/Arquivo pessoal)
O morador fotografou a situação das colunas momentos antes de o prédio desabar
O morador fotografou a situação das colunas momentos antes de o prédio desabar (Foto: David Sampaio/Arquivo pessoal)

David Sampaio é estudante de Arquitetura e afirmou, minutos antes do desabamento, no grupo de WhatsApp dos amigos, que a estrutura de concreto dos pilares estava sendo quebrada, sendo deixadas apenas as ferragens expostas.

A situação chamou a atenção dos colegas, que o orientaram a conversar com o síndico. O prédio caiu momentos depois.

Na mensagem, David ainda afirma que não estavam colocando apoios de ferro nas colunas e que estava ficando assustado com a situação.

Depois do desabamento, o universitário enviou um áudio aos colegas informando que estava vivo e havia sofrido arranhões. Ele também enviou uma selfie, fazendo sinal de positivo, para mostrar que está bem.

Veja também: Vídeo mostra pilastras deterioradas antes de prédio desabar em Fortaleza

Balanço
O Corpo de Bombeiros continua trabalhando nos escombros do prédio residencial, que registrou ao menos cinco feridos, segundo o Estadão Conteúdo.

De acordo com os bombeiros, pelo menos três vítimas permaneciam soterradas por volta das 13h45, mas com vida. Com duas delas, havia contato visual e elas teriam conseguido ligar para os familiares, mesmo sob os escombros. E mais uma vítima estava conversando os bombeiros que participam do resgate.

"Nós temos nesse momento cinco pessoas resgatadas com vida. Uma pessoa resgatada já em óbito. Duas pessoas em contato visual, que estão aparentemente bem. Elas estão conscientes e orientadas", afirmou o porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente-capitão Romário Fernandes.

Veja o exato momento em que o prédio desaba.

Os bombeiros também estão com uma lista de nove nomes de pessoas que ainda não foram localizadas, mas não se sabe se elas estavam no edifício no momento do desabamento. Ainda de acordo com os oficiais, não há risco para os prédios próximos.

"A Defesa Civil está coordenando o isolamento do entorno, mas o desabamento desse prédio não oferece risco aos edifícios vizinhos. Estamos esvaziando o entorno, mas mais por uma questão de segurança", afirmou o coronel Cleyton Bezerra, comandante da operação.

"A situação é difícil e requer cuidados, porque o restante do prédio ainda pode vir a colapsar. Ainda há bolsões que inspiram cuidados. É uma operação lenta e deve se estender durante todo o dia de hoje", explicou. O comandante também disse que não há risco de incêndios ou de explosões. E também não foi detectado vazamento de gás.

Em nota nas redes sociais, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou ter determinado "o uso de toda a força operacional dos Bombeiros, Samu, Polícia Militar, Defesa Civil e todos os órgãos estaduais que possam auxiliar no socorro às vítimas".

"Estava chegando a Brasília para cumprir agendas quando recebi essa lamentável notícia. Cancelei toda a agenda e estou retornando imediatamente para Fortaleza para acompanhar a operação de resgate. Além das ações efetivas das nossas forças de segurança, façamos uma corrente de oração para que as vidas sejam salvas", diz o texto. As informações do O Povo Online e Estadão Conteúdo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas