Valha-nos, Bethânia!

trilhas
05.09.2020, 16:00:00

Valha-nos, Bethânia!


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Cética com a vida cultural brasileira, do Oiapoque ao Chuí, sem exceções, recebi o áudio de uma amiga, curto e grosso como se rotulavam os recados de antigamente, garantindo que a única pessoa capaz de tirar o Brasil desse temporal em que ele soçobra é Maria Bethânia. É a solução, pensei. Li que Mário Frias, o garoto propaganda da cultura popularíssima do governo Bolsonaro, participará, ele, secretário de cultura de uma secretaria que já foi ministério, da campanha ‘Um povo heroico’ nos próximos dias. Segunda-feira é Sete de Setembro e a campanha exaltará o Povo em heróis anônimos, militares nos combatentes da 2ª Guerra e, por fim, “os grandes heróis nacionais"...  Em pânico, lembrei de Brecht e do áudio que me garantiu que Bethânia “respira debaixo d’água, flutua, solta raio” e pode nos salvar. Pode!

Dias antes, fui marcada, avisada, evocada, exortada a saber e a divulgar que no TCA aconteceu um espetáculo com a nossa OSBA, o nosso BTCA, e na plateia figurinos. Era o que havia antes da pandemia, OSBA, BTCA e figurinos de um Núcleo de Teatro que acabou. E lembrei que diante do avanço do bolsonarismo no Nordeste, o PT determinou que seus governadores se mexessem. Que Rui Costa deve ter pensado: Mexer como, Gleisi? Fazer o que, Lula? A Bahia tem a pior educação do Brasil. Uma das piores seguranças do Planeta. Está no poder há 13 anos e oito meses e não pode culpar a herança maldita. Que alguém deve ter sugerido: - Fala de Cultura, Rui... Mas pra política cultural do PT na Bahia só Bethânia na causa!

Porque a impressão é que os políticos ignoram que o Brasil está em estado de barbárie. Que Flordelis, uma colega deles, deputada federal como Rodrigo Maia e Eduardo Bolsonaro, mandou matar o ex-filho, ex-genro e, atualmente, ex-marido, porque precisava separar-se dele, mas não podia desagradar a Deus. Que policiais militares do Rio de Janeiro prendem traficantes de drogas para vendê-los a traficantes rivais. Que todos são funcionários públicos. Que Flordelis foi contratada por 196 mil eleitores para fazer e aprovar leis. Que os policiais militares devem proteger os cidadãos. E o que eles fazem é barbárie.

A Educação pública e eficiente que era boa em 1964, em 1989 não existia mais. Nenhum presidente pós 1989, nenhum, fez absolutamente nada para resgatá-la. O Ministério da Cultura, construído e destruído até 2002, com algumas vitórias, foi totalmente desmontado a partir de 2002, da Tropicália à Malhação. E o Brasil que resta é o da incapacidade de Pensar que fomenta a barbárie. O áudio, lúcido, garante que se Bethânia der um esporro em Bolsonaro ele chora e...
 Façamos a lista dos que devem chorar além de Bolsonaro, responsáveis por este Brasil acéfalo. E valha-nos Bethânia!

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas