Vida e destino numa carreta desgovernada

paulo sales
21.11.2019, 14:27:46

Vida e destino numa carreta desgovernada


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.


Imagino a História como uma carreta desgovernada, sem freio e sem motorista, descendo uma serra. Na sua trajetória errática, ela destrói placas de sinalização, flerta com o abismo e arrasta consigo quem estiver no lugar errado e na hora errada. Não importa se descambe para a direita ou para a esquerda da pista, o resultado é invariavelmente próximo do caos. A História não tem compaixão. Diante dela, o indivíduo é apenas a engrenagem mais vulnerável, quase sempre levado a reboque por uma força sobre a qual não exerce qualquer influência. Que o digam os indivíduos que viveram o século 20 e sobreviveram – ou não – a ele. A era dos extremos, como bem definiu Eric Hobsbawm, foi pródiga em fazer pó de milhões de seres humanos, relegados à vala dos acontecimentos.

É sobre essa era dos grandes “ismos”, onde a humanidade avançou e matou como nunca, que fala Vida e Destino, de Vassili Grossman. Mais precisamente, sobre um momento crucial para o desenrolar da civilização: a Segunda Guerra Mundial. Nela estão condensados praticamente todos os conflitos e tragédias essenciais para se entender o século passado. Atravessei semanas me embrenhando nas mais de 900 páginas do romance. E voltei à tona com a sensação de ter conhecido a zona abissal, o centro da Terra, o cerne do que somos como civilização. Um romance polifônico (centenas de personagens em diferentes lugares e situações), de narrativa francamente realista e impiedoso com os totalitarismos.

É provavelmente o maior painel literário já escrito sobre o conflito – no caso, por alguém que esteve no front como correspondente, vivenciando o horror e o heroísmo da Batalha de Stalingrado, que é o lastro da narrativa. Russo-ucraniano de origem judaica, Grossman constrói um libelo contra a destruição do ser humano por essa carreta que chamamos de História. Nele, paira acima de tudo o valor de cada indivíduo: os que morreram nos campos de concentração ou de batalha, os injustiçados pelos expurgos stalinistas, os que perderam suas casas e parentes, os que passaram fome, os que guerrearam em condições desumanas, os que sobreviveram e prosseguiram com imensos espaços ocos na alma.

Não deixa de ser sintomático que até mesmo o autor tenha sido vítima das artimanhas da História: Vida e Destino foi confiscado pela KGB, considerado anti-soviético, e Grossman morreu em 1964 sem vê-lo publicado, o que é particularmente doloroso. Foi o sentido da sua vida e do seu trabalho. Apenas nos anos 80 essa obra-prima foi publicada na Europa e nos Estados Unidos. Na Rússia, só após a chegada de Gorbatchov. Aqui no Brasil chegou em 2014, numa edição de altíssimo nível da Alfaguara, traduzido por Irineu Franco Perpetuo. É um dos maiores romances já escritos, talvez o melhor que li na vida. Caudaloso como o Volga, repleto de momentos de beleza e barbárie que revelam toda nossa grandeza e toda nossa miséria, ele é uma ode e ao mesmo tempo uma elegia ao ser humano. Único, frágil e insignificante em meio à avalanche.

Trecho:

“O mundo vai se afogar em sangue no dia em que o fascismo estiver inteiramente seguro de seu triunfo definitivo. Se o fascismo ficar sem inimigos armados na Terra, os carrascos, assassinos de crianças, mulheres e velhos, não vão conhecer limites. Pois o maior inimigo do fascismo é o ser humano.”

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/bau-do-marrom-o-dia-que-daniela-mercury-superou-britney-spears-em-portugal/
Durante a apresentação de Daniela Mercury no Rock in Rio Lisboa em 2004 falei até na TV portuguesa sobre Daniela
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/em-quarentena-anitta-lanca-clipe-para-tocame-com-gui-araujo-assista/
Vídeo traz fãs dançando em casa; é a primeira vez que funkeira contracena com namorado
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/secretario-do-ministerio-da-saude-destrata-garcom-em-transmissao-ao-vivo-sai-dai/
Élcio Franco falava em medidas de segurança para reabertura da economia quando se incomodou com presença de servidor
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/policia-acredita-que-naya-rivera-se-afogou-e-busca-agora-e-por-corpo/
Imagens de câmera de segurança mostram ela saindo no barco com filho
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/sandy-junior-contam-a-propria-historia-em-serie-documental/
Produção em sete capítulos do Globoplay inclui imagens caseiras dos irmãos, ainda antes de serem profissionais
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/pensei-em-me-matar-diz-atriz-de-malhacao-apos-video-em-site-porno-veja-desabafo/
Pillar Costa, que atuou na novela da Globo no ano passado, entrou em depressão
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/claudia-leitte-festeja-40-anos-com-live-repleta-de-convidados/
Any Gabrielly, Léo Santana, Zaac, Hungria Hip Hop, Lore Improta, Bera e Dennis DJ estarão na festa
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/nivus-ja-rodamos-na-bahia-com-o-novo-suv-da-volkswagen/
Em vídeo, apresentamos as primeiras impressões sobre o veículo que tem piloto automático inteligente e detector de fadiga
Ler Mais