'Vida normal vai demorar para voltar', diz Drauzio Varella sobre pandemia

coronavírus
02.04.2020, 17:00:00
Atualizado: 02.04.2020, 17:01:38
(Foto: Reprodução)

'Vida normal vai demorar para voltar', diz Drauzio Varella sobre pandemia

Médico afirmou que consequências da Covid-19 pode ser terríveis

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Médico e escritor, Drauzio Varella associou a crise enfrentada pelo Brasil por conta da pandemia do novo coronavírus a desigualdade social do país. Para ele, as consequências do surto podem ser terríveis. 

"Nós estamos pagando o preço da desigualdade social. Sempre encaramos isso com naturalidade. Vamos pagar o preço de termos construído estádios na Copa (do Mundo de 2014) que hoje estão sendo transformados em hospitais. Não sabemos como a epidemia vai se disseminar em um país com essa desigualdade social. Sabemos o que está acontecendo em países ricos. No Brasil, não, agora que nós vamos saber. E pode ser terrível", analisou Drauzio durante o programa UOL Debate.

O médico alertou ainda que a rotina dos brasileiros vai demorar para voltar ao normal. Atualmente, o Brasil vive fase de isolamento social em quase todo o país. A recomendação das autoridades de saúde é para que as pessoas fiquem em casa e saiam apenas para realizar serviços necessários, como ir ao mercado. 

"Tínhamos visão benigna da epidemia, mas estamos numa situação de guerra. Esquece a vida normal, ela não vai existir por muito tempo. Não vai ser normal porque não poderá ser. Daqui a quanto tempo vai acontecer? Não tenho ideia, ninguém tem ideia. Na prática, estamos aí, quando começou? Em dezembro, em janeiro sabemos de lá. Tem três meses, é impossível fazer previsões sobre o futuro", disse Varella. 

Apesar dos problemas enfrentados para conter a proliferação do vírus, Drauzio elogiou o Sistema Único de Saúde (SUS). 

"A realidade é muito dura. Ainda bem que temos o SUS, que todo mundo xinga, que não serve para nada. Imagina agora se não teria. Será que vai ter vaga para mim no (Hospital Albert) Einstein? E se não existisse o SUS, para onde eu iria?", questionou. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas