Vitória adere a programa federal e anuncia redução de 50% das dívidas

e.c. vitória
30.06.2022, 18:04:00
Fábio Mota, presidente do Vitória (EC Vitória/Divulgação)

Vitória adere a programa federal e anuncia redução de 50% das dívidas

Abatimento engloba também o Vitória S/A

O Vitória anunciou na tarde desta quinta-feira (30) que conseguiu negociar a redução de quase 50% da dívida total que o clube e o Vitória S/A acumulavam, que era de R$ 117 milhões.

Agora, os débitos dos dois CNPJ somados chegam a R$ 59,7 milhões, que poderão ser pagos em parcelas de 145 meses para dívidas fiscais ou 60 para os débitos previdenciários. O abatimento é de 49%.

O encolhimento da dívida se deve à adesão do rubro-negro ao Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse), criado pelo governo federal em 2021, no contexto da pandemia. O programa concede descontos de juros, multas e encargos legais.

De acordo com o comunicado divulgado pelo Vitória, cada parcela é de R$ 255 mil, e as duas primeiras foram pagas nesta quarta (29) e quinta-feira. Após 12 meses, a quantia desembolsada mensalmente cresce.

Essa adesão possibilita que o Leão saia da lista de dívida ativa da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional e, em ação futura, retire a Certidão Negativa de Débito junto à Receita Federal, com o intuito de buscar incentivos fiscais.

O presidente do clube, Fábio Mota, definiu a negociação como uma conquista do rubro-negro durante esse processo que ele chamou de reconstrução.

“Nossa preocupação, evidente, é devolver o Vitória à elite do futebol, mas não devemos esquecer de seguir com a reconstrução do clube, que foi dilapidado nos últimos anos. Essa é mais uma importante conquista dentro desse desafio”, afirmou Mota.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas