Vitória empata com Paraná em Curitiba e dorme fora da zona

e.c. vitória
04.11.2018, 18:00:07
Atualizado: 04.11.2018, 21:10:09
Leão saiu atrás e teve que lutar pelo empate (Geraldo Bubniak / Paraná Clube)

Vitória empata com Paraná em Curitiba e dorme fora da zona

Leão aguarda resultado de Sport x Ceará, nesta segunda (5)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O caminho para o Vitória escapar do rebaixamento fica a cada rodada mais difícil. Neste domingo (4), o rubro-negro tinha um jogo crucial para fazer três pontos fora de casa, contra o lanterna da Série A. Mas saiu de Curitiba com um empate em 1x1 com o Paraná.

Com o ponto conquistado, o Leão até conseguiu deixar o Z4 temporariamente. É o 16º colocado. Quem ajudou foi o rival Bahia, que neste domingo venceu a Chapecoense (18º, com 34 pontos, mas com uma vitória a menos) por 1x0, na Fonte Nova.

Também ajudou a derrota do América-MG (17º, com 34 pontos e uma vitória a menos) para o Cruzeiro por 2x1, no Independência, em Belo Horizonte. Agora, só falta o Sport (19º com 33 pontos), que recebe o Ceará segunda-feira (5), na Ilha do Retiro.

No entanto, o Vitória, agora com 34 pontos, fica a dez de alcançar a linha de corte projetada para escapar da degola, que é de 44 pontos. Restam seis jogos no campeonato, três em casa e três fora. O próximo compromisso do rubro-negro é o clássico Ba-Vi no domingo (11), às 16h (horário da Bahia), no Barradão.

O jogo
Para enfrentar o Paraná, Carpegiani mudou seis jogadores em relação ao time que havia perdido do São Paulo por 1x0 na rodada anterior. Entraram Ruan Renato, Aderllan, Benítez, Arouca, Léo Gomes e Léo Ceará. Ramon atuou improvisado na lateral direita.

O primeiro tempo foi digno dos últimos colocados da Série A. O Vitória – que, afinal, ainda briga contra o rebaixamento – até teve mais posse de bola do que o adversário. Mas chance de gol mesmo, que é bom, só teve uma.

Aos 4, Benítez fez boa jogada pela esquerda e rolou para a entrada da área, onde Arouca se aproximava. Ele chutou fraco e Richard pegou.

As duas chances claras de abrir o placar na etapa inicial foram, na realidade, do Paraná. A de maior destaque com menos de um minuto: depois de bela trama pela esquerda, Jhonny Lucas rolou na área para Alex Santana, que bateu forte e a bola foi na trave.

Aos 36, Alex Santana apareceu de novo. Num lance parecido, ele recebeu na entrada da área e chutou forte. Aderllan, porém, colocou a cabeça no caminho, desviando a bola para escanteio.

Curioso é que, mesmo com o primeiro tempo ruim, o Vitória foi para o intervalo fora da zona por conta da derrota do América-MG e da bola não ter rolado para Chapecoense, contra o Bahia, e Sport – que só joga hoje com o Ceará.

Parece que aquilo acordou o Leão, que teve três chances seguidas. Aos 4, Aderllan cabeceou e Richard salvou. Aos 7, Erick fez jogada individual na linha de fundo e chutou para fora. E aos 11, Ruan Renato desviou escanteio por cima do travessão.

Nenhuma, porém, foi clara como as duas que Alex Santana teve no primeiro tempo. E aos 13, deu ele de novo. Andrey carregou com liberdade pelo meio e achou o camisa 8 sozinho na esquerda.

À frente, tinha um buraco, já que Ramon, que atuava como lateral direito, estava no meio da área. Alex ficou cara a cara com Ronaldo e chutou tirando do goleiro para marcar 1x0.

Apesar das trocas de Carpê tentando mudar o panorama – Neilton, Maurício e Yago entraram –, o Vitória continuou sem produzir com perigo. Aos 21, saiu algo: após falta cobrada por Neilton, a bola sobrou para Léo Gomes, que chutou em cima de Renê.

Mas, afinal, o Leão enfrentava o lanterna da Série A, um time que não ganha desde o dia 22 de julho, ainda pela 14ª rodada. E aos 37, o Vitória se tocou disso. Em cobrança de escanteio de Neilton, Léo Ceará subiu mais que a zaga e empatou.

Nos cinco minutos finais, o Vitória pressionou. Aos 42, a chance mais clara veio com Lucas Fernandes. Ele recebeu no segundo pau e chutou de voleio, torto, muito por cima do gol de Richard.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas