Vitória sofre golaço de falta e perde para o Floresta no Barradão

e.c. vitória
16.04.2022, 23:01:00
(Pietro Carpi/EC Vitória)

Vitória sofre golaço de falta e perde para o Floresta no Barradão

Leão teve um jogador a mais durante a maior parte do jogo e segue sem pontuar na Série C

Para quem esperava que o primeiro jogo em casa representasse o início da recuperação do Vitória na Série C, o apito final após a partida contra o Floresta, neste sábado (16), foi surpreendente e decepcionante. O Leão perdeu por 1x0 no Barradão, a segunda derrota em duas rodadas disputadas, e deixou o gramado sob vaias e protestos da torcida.

É bem verdade que o time lutou e tentou ao máximo buscar o empate. Mas ao considerar que o Vitória esteve com um a mais em campo desde os 36 minutos do primeiro tempo, a derrota é ainda mais dolorosa - e preocupante. Perema, zagueiro adversário, recebeu dois cartões amarelos em menos de cinco minutos, o segundo após falta em Tréllez na linha de fundo, e deu esperança ao torcedor rubro-negro de uma noite vencedora em Salvador.

Mas no campo não foi isso que se viu. A primeira etapa terminou sem nenhum chute a gol com a bola rolando. De nenhuma das equipes. E já que não se produziu nada dessa forma, a rede só balançou após um lance de bola parada. E não foi um lance qualquer. Depois de Klenisson sofrer falta logo após o círculo central do campo, o lateral esquerdo Fábio Alves acertou um chute de rara felicidade, no melhor estilo Roberto Carlos, e colocou a bola no ângulo de Lucas Arcanjo, que falhou no lance. Uma falta de muito longe, um golaço, e 1x0 para o Floresta, aos 41 minutos.

Se o descontentamento com a atuação estava contido no torcedor, depois do gol as manifestações começaram a ecoar pelo Barradão.

Na volta do intervalo, Geninho fez mudanças táticas e técnicas para tentar reverter a situação. Abandonou o esquema 3-5-2 e adotou o 4-3-3, com a entrada de Alisson Santos na ponta esquerda, substituindo o zagueiro Rafael Ribeiro. O lateral esquerdo Salomão, já amarelado, deu lugar a Iury, que é destro, mas possui uma subida mais qualificada ao ataque, e Miller estreou no lugar de Eduardo, que não deu a dinâmica esperada no meio-campo.

Com este setor mais entrosado, já que Miller e Dionísio jogaram juntos pelo Atlético de Alagoinhas nesta temporada, o Vitória voltou para o segundo tempo com uma postura diferente. Com três minutos teve sua primeira finalização: Iury mandou por cima da meta de Marcão.

Daí em diante começou a busca pelo gol de empate. Mas o Vitória esbarrou na boa linha defensiva montada por Ricardo Drubscky, treinador do Floresta. A solução para furar a barreira do adversário foi arriscar de fora da área. Alisson Santos, Iury, Dionísio… o que não faltou foram chutes de longe da meta para tentar surpreender Marcão.

No único lance em que o rubro-negro conseguiu superar o goleiro da equipe cearense, Éweton Páscoa cabeceou no contrapé, mas parou em Dudu, que tirou a bola quase em cima da linha. O zagueiro ainda teve uma última chance em um bate e rebate na área nos últimos minutos. Nada feito.

Dois tempos, duas realidades

Com a exceção do chutaço de Fábio Alves no gol do Floresta, os goleiros das duas equipes nem precisaram sujar o uniforme na primeira etapa.

Do lado rubro-negro, o momento em que esteve mais perto de marcar foi numa cobrança de escanteio aos 28 minutos. Rafael Ribeiro ganhou a bola no alto e ela sobrou para Salomão, que devolveu para a área e Ewerton Páscoa cabeceou em cima de Fábio Alves.

No segundo tempo, o Vitória teve chutes de fora da área com Dionísio e Iury, em duas oportunidades cada pelo menos, Alisson Santos e Roberto. Mas a bola não tomava o rumo certeiro no gol do Floresta e ficava cada vez mais difícil reagir à desvantagem no placar.

Os cearenses pouco reagiram ofensivamente. Mesmo marcando em linha média as ações do Vitória, o Floresta não engatou nenhum contra-ataque que levasse perigo para Lucas Arcanjo, apenas com chutes sem direção. E a prova de que o gol do Floresta saiu de um lance raro veio no segundo tempo.

O próprio Fábio Alves teve outras duas oportunidades de bater faltas na segunda etapa, aos 23 e 27 minutos. Em uma delas a bola ficou na barreira e em outra foi parar na arquibancada. O que realmente sustentou o placar foi a solidez defensiva do Floresta, que chegou a seis pontos no campeonato.

O Leão segue sem pontos e agora irá enfrentar o Ypiranga, em Erechim, Rio Grande do Sul, no dia 24 de abril. Já o Floresta recebe o Figueirense. Antes, no entanto, o Vitória enfrenta o Fortaleza, dia 20, no Castelão, no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA

Vitória 0x1 Floresta - 2ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro

Vitória: Lucas Arcanjo, Rafael Ribeiro (Alisson Santos), Ewerton Páscoa e Mateus Moraes; Alemão (Roberto), João Pedro, Salomão (Iury), Dionísio e Eduardo (Miller); Luidy (Dinei) e Tréllez. Técnico: Geninho.

Floresta: Marcão, Yago Rocha (Dudu), Maílson, Perema e Fábio Alves; Jô, Carlinhos e Renan Mota (Marcelo Sousa); Klenisson (Alason Carioca), Flávio Torres e Jeffinho (Lincoln, depois Carlos Renato). Técnico: Ricardo Drubscky.

Estádio: Barradão
Gol: Fábio Alves, aos 41 minutos do 1º tempo
Cartão amarelo: Salomão e Dionísio (Vitória) | Maílson (Floresta)
Cartão vermelho: Perema (Floresta)
Arbitragem: Michelangelo Martins de Almeida Junior, Bruno Cesar Chaves Vieira e Karla Renata Cavalcanti de Santana (trio de PE)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas