Vitória tenta vencer primeira fora de casa e enfim deixar a zona

e.c. vitória
03.08.2019, 05:00:00
Felipe Gedoz é a esperança do Vitória na Série B (Ascom / EC Vitória)

Vitória tenta vencer primeira fora de casa e enfim deixar a zona

Duelo a partir das 11h será contra o Brasil de Pelotas, fora de casa

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Não há passo mais importante para o Vitória a esta altura da Série B que deixar o quanto antes a zona de rebaixamento. Depois de um início ruim, o Leão passou a maior parte da competição nela, e dar fim a isso será o objetivo para esta 14ª rodada.

Fugir da zona, no entanto, não será fácil. O rubro-negro enfrenta neste sábado (3), às 11h, o Brasil, em Pelotas. Para ter chances de escapar o time de Osmar Loss será obrigado a vencer, e só então torcer contra seus adversários diretos.

O Vitória tem 11 pontos e chegou à 14ª rodada em 18º lugar. Acima dele estava o São Bento, com 12 pontos. O primeiro time fora da zona era o Criciúma, com 13. O último ao alcance do time baiano é o Vila Nova, com 14.

A equipe baiana está na zona de rebaixamento há 10 rodadas. Entrou nela após perder em casa para o São Bento pelo placar de 3x1, de virada, no que foi a última partida do técnico Claudio Tencati.

Para deixar a zona
Para mudar esse quadro, vamos à primeira missão do Vitória: ganhar fora de casa. Em sete jogos como visitante até o momento, o Leão ainda não venceu nenhum. Com dois empates e cinco derrotas, tem a segunda pior campanha fora de seus domínios, à frente só do Operário-PR.

Há, no entanto, um motivo para o torcedor ser otimista. O Brasil é um raro caso de time que tem uma campanha melhor fora de casa do que como mandante. Em Pelotas, o time venceu apenas dois jogos e perdeu cinco (28% de aproveitamento). Fora, venceu duas, empatou duas e perdeu duas (44%).

Se conseguir quebrar o seu tabu, o rubro-negro passa a torcer contra seus adversários diretos. O problema é que todos jogam em casa. O São Bento enfrenta a Ponte Preta, o Criciúma recebe o Operário – jogos às 16h30 – e o Vila pega o Figueirense, às 19h15.

O próprio Brasil, 14º colocado com 14 pontos, está ao alcance do Vitória na tabela, mas para passá-lo o Leão terá que, além de vencê-lo, tirar a maciça diferença no saldo de gols. O time gaúcho tem -5, e o baiano, -11.

Vai ter que mudar
Ainda que não tenha dado indícios de que o faria, o técnico Osmar Loss não poderá repetir a equipe que empatou em 1x1 com o Figueirense, fora de casa, na última terça (30).

São dois desfalques certos para o jogo. Lesionados, os meias Nickson e Ruy foram cortados da partida e já retornaram pra Salvador. Ambos reclamaram de dores numa coxa após o duelo com o Figueira e não se recuperaram.

Ruy foi titular no duelo em Santa Catarina. Como não teve boa atuação, sua saída da equipe já era esperada. Nickson seria justamente um dos candidatos à vaga.

Loss, no entanto, tem o que comemorar. Regularizado na última quarta-feira, o atacante equatoriano Jordy Caicedo treinou com a equipe nos dois últimos dias e está pronto para estrear.

Sendo assim, a tendência é que a vaga de Ruy fique entre Caicedo e o também atacante Wesley, com preferência para este último, que entrou no lugar do meia durante o duelo em Santa Catarina.

No restante da equipe há a dúvida em relação ao posicionamento de Capa e de Chiquinho. Na última partida, o técnico rubro-negro preferiu escalar Capa mais adiantado, no meio-campo. Ele, inclusive, está recuperado de dor no braço da qual se queixou nos treinos desta semana.

Esta será a última partida da turnê do Vitória pelo Sul do país. Depois do duelo com o Figueirense, o elenco não retornou a Salvador e emendou duas viagens. Treinou na capital catarinense, em Porto Alegre e por fim em Pelotas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas