Vitória vence, convence, e se afasta do Z4 na Série C do Brasileiro

e.c. vitória
02.07.2022, 21:08:00
Jogadores comemoram gol contra o Figueirense (Foto: Victor Ferreira/ECV)

Vitória vence, convence, e se afasta do Z4 na Série C do Brasileiro

Rafinha e Luidy marcaram os gols da vitória rubro-negra em casa

O Barradão e a torcida do Vitória sabiam da importância de vencer o jogo de sábado (2) contra o Figueirense. Os gols de Rafinha e Luidy, ainda no primeiro tempo, garantiram a quebra de uma sequência ruim de quatro partidas sem triunfo e, de quebra, fizeram se afastar da zona de rebaixamento, subindo para o 13º lugar na tabela da Série C. 

O jogo prometia ser um divisor de águas para o rubro-negro, que iniciou a rodada com apenas 12 pontos em 12 jogos. O Leão precisava vencer para continuar com chances de mirar o G8 da competição, ainda que a missão ainda continue complicada. Mesmo sem encurtar tanto o caminho para o G8, a certeza de se afastar do Z4 já era suficiente para entender o que era necessário.

Do outro lado, o Figueira queria se consolidar dentro do grupo dos melhores colocados. Logo aos 5 minutos, o Vitória deu o primeiro recado. Rafinha tentou tabela, a zaga foi afastar, mas deu mole e cortou errado. O artilheiro rubro-negro então subiu de cabeça e nem mesmo o soco do goleiro Wilson o impediu de abrir o placar. A bandeira até esboçou um erro grosseiro, mas a arbitragem confirmou o gol. Foi o quinto tento de Rafinha em oito partidas no campeonato. 

O Figueirense sentiu e tentou buscar o empate de qualquer maneira. O Vitória, por sua vez, aproveitava bem os espaços deixados por Rodrigão, que, se não foi perigoso nas finalizações, prendia a zaga catarinense para Luidy e Rafinha ameaçarem. E assim veio a segunda bola na rede para os donos da casa.

O camisa 9 puxou a marcação, que afundou junto com o homem-gol. A armadilha estava feita e Luidy aproveitou ao soltar a canhota aos 22 minutos e contar com uma noite rubro-negra de Wilson, que aceitou: 2x0 e o motivo perfeito para a torcida cantar ainda mais no estádio.

O goleiro Lucas Arcanjo viveu um raro dia tranquilo no Barradão e os catarinenses deram sorte de não saírem de Salvador com um placar um pouco mais elástico.

Novamente aproveitando os espaços que criava, o Vitória arriscou de fora. Guilherme Lazaroni soltou o pé aos 37 do primeiro tempo e Wilson buscou. O antigo camisa 1 da Toca ainda operou um milagre aos 42, fechando o primeiro tempo completamente vermelho e preto.

Tranquilidade

Na segunda etapa, o time do técnico João Burse permitiu que o Figueirense tivesse mais a bola em campo. Os números estatísticos até mentiram um pouco, com os catarinenses com uma finalização a mais do que o Vitória. Mera estatística: mal conseguiam ameaçar e sequer chutaram contra o gol de Lucas Arcanjo.

Restava ao Leão administrar o placar e sair de campo com os três pontos. Foi o que aconteceu, para a alegria do zagueiro Alan Santos, que garante a equipe ainda com chance de brigar por uma vaga entre os oito primeiros que vão disputar o acesso na próxima fase. 

“Nosso grande desejo, nosso sonho, é o acesso. Meu alvo é o Vitória na Série B, depois na Série A porque um clube como esse não pode ficar nessa situação. A dificuldade une mais. Vamos lutar um pelo outro porque sabemos que se o Vitória não classificar, não só os atletas mas todos os funcionários ficam desempregados. É importante a gente continuar e subir”, deu o recado. 

Ao menos essa semana, o torcedor vai poder respirar aliviado. O Vitória volta a jogar no próximo domingo (10), às 17h, diante do São José, no Rio Grande do Sul. O adversário está em 6ºlugar, na briga por uma vaga na fase final.

Ficha técnica: Vitória 2x0 Figueirense - 13ª rodada da Série C

Vitória -  Lucas Arcanjo, Alemão, Alan Santos, Marco Antônio e Lazaroni (Sanchez); Léo Gomes (João Pedro), Dionísio e Eduardo; Luidy (Tréllez), Rodrigão (Roberto) e Rafinha (Alan Pedro) Técnico: João Burse

Figueirense -  Wilson, Muriel (Natan), Luis Fernando, Maurício e Mário Henrique; Uesley Gaúcho, Oberdan e Bassani (Léo Arthur); Gustavo Ramos (Jean Silva), Gustavo Henrique e Andrew (Paolo) Técnico: Júnior Rocha

Estádio - Barradão

Gols - Rafinha, aos 8, e Luidy, aos 21 minutos do 1º tempo

Cartão amarelo - Rafinha e Lucas Arcanjo; Léo Arthur e Oberdan

Público - 3.785 pagantes Renda - R$ 40.131,50

Árbitro - Paulo Zanovelli, auxiliado por Magno Lira e Fernanda Gomes (trio de minas gerais)

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas