Você respira estresse ou bem-estar?

artigo
23.05.2022, 05:00:00

Você respira estresse ou bem-estar?

Vivemos tempos confusos, onde a mudança repentina da realidade chega a qualquer instante. A velocidade destas mudanças vem de todos os lados. Os preços dos produtos sobem, um amigo posta algo interessante na rede social, você pergunta algo ao seu smartphone e ele responde de prontidão, e lá vai a nossa mente correndo atrás de tanta informação.

 A hiperestimulação em que vivemos também nos impacta de forma integral. Nos tornamos mais imediatistas, temos mais possibilidades de escolha, acabamos nos preocupando com mais eventos em nossas vidas, nos tornando ansiosos e estressados.

Com isso, nos afastamos de processos e vivências que nos fazem viver uma vida mais saudável, como respirar! Isso mesmo, respirar. A respiração é um ato que ocorre naturalmente sem precisarmos pensar nela. Nascemos respirando de forma adequada e com a influência dessa estimulação, além de doenças, estressores, relações disfuncionais, esse padrão se modifica.

A respiração é de fato a janela e a porta do nosso mundo emocional, e vivemos isso a cada vez que percebemos nosso humor mudar. Levou uma fechada no trânsito? Respiramos de maneira rasa e rápida. Está apaixonado? Suspiramos e fazemos respirações profundas. Ela (respiração) responde a medida do quanto valorizamos cada ação e reação em nosso cotidiano.

Esse mecanismo respiratório, que nos faz estar vivos, está conectado ao nosso sistema nervoso autônomo, responsável por manter as funções vitais para que o corpo continue vivo e encarando os desafios. Apesar de ser autônomo, poucos sabem que ele é passível de ser treinado! No senso comum, temos aquela famosa frase “respire fundo, acalme-se”, e há uma grande sabedoria por trás dela.

O bom de tudo isso é que podemos manipular a nossa respiração na hora que bem quisermos. Começar a ter consciência da respiração em todos estes momentos nos quais você sai do seu centro já é um excelente passo a se dar, além de buscar respirar pelas narinas, de maneira profunda, pela barriga, priorizando soltar o ar de forma um pouco mais lenta.

A tecnologia que acima foi citada que pode nos hiperestimular, também vem para nos ajudar na compreensão do nosso mundo interno e do nosso corpo. Uma ferramenta chamada Biofeedback consegue observar o comportamento da sua respiração e do coração na tela de um computador ou na palma da sua mão ao vivo, além das patologias observadas por cardiologistas, buscando enxergar como os estressores atuam em nosso sistema e como treinar de maneira efetiva a respiração a partir do caso de cada indivíduo. Com o treino, estaremos mais aptos para lidar com nossos estressores, dando chance para não sermos controlados pela ansiedade, preocupação excessiva, criando um laço de colaboração entre você e seu corpo. 

Aos poucos, vamos criando um ciclo virtuoso fisiológico, que terá impacto em todas as camadas da vida, pois a partir de uma respiração saudável, dormimos melhor, estaremos mais atentos e descansados, e principalmente mais presentes e conscientes.

Yuri Wolff é psicólogo, especialista em Neurofeedback. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas