Você sabe qual é a temperatura certa para servir o vinho?

paula theotonio
18.10.2018, 05:05:00
Atualizado: 18.10.2018, 11:10:13

Você sabe qual é a temperatura certa para servir o vinho?


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Antes de mais nada: gosto é gosto, e como você prefere seu vinho é sua verdade. Não estou aqui para ditar regras, só querendo te dizer o que acontece quando você foge muito às indicações de temperatura ideal. 

Uma das coisas mais “nariz empinado” e erradas que já ouvi, a respeito de vinhos, é que precisamos servi-lo em temperatura ambiente. A pessoa certamente é europeia, canadense, mora nos polos do globo terrestre... Só que não, né? Experimenta abrir um tinto encorpado e a em pleno Verão nordestino. Você ver aquela bebida sofisticada virar um quentão junino!

Brincadeiras à parte, uma temperatura mais alta faz com que os aromas do vinho se pronunciem mais, ficando quase fugazes; e seus açúcares residuais ficam mais presentes. O que não é tão ruim, observando de longe. O problema maior é que tanto no olfato quanto no paladar, sua primeira sensação será de uma bebida duas vezes mais alcoolica que na realidade.

Esse mesmo calorão que faz em nosso ‘Brasil Tropical, Abençoado Por Deus’ leva muita gente a guardar seus vinhos na geladeira; e a servi-los sem adequar a temperatura. Diferentemente da cervejinha e do refri de bar (mas sem juízo de valores), o vinho trincando perde seu sabor no paladar. Perto de zero, o líquido congela suas papilas gustativas e você deixa de sentir as nuances de aroma. A sensação de álcool diminui, porém os taninos... estes ficam quadrados. O vinho trava ainda mais na boca.

“E agora, qual a temperatura certa do vinho?”

Simplificando: pode ser a que o rótulo indica, ou você pode tomar por base a média estabelecida pela bibliografia enológica. Ao servir, leve em consideração o estilo do vinho. Quanto mais leve, frutado e jovem, menor será sua temperatura de serviço. Se passou por qualquer processo de envelhecimento, tem estágio em carvalho, é encorpado ou fortificado, sirva a temperaturas maiores.

• Espumantes: 4°C a 8°C (mas dizem que Champagne só a 12°C)
• Brancos e verdes: 7°C a 13°C
• Rosés e laranjas: 4°C a 12°C
• Tintos de corpo leve a médio: 14°C a 16°C
• Tintos encorpados e fortificados: 16°C a 18°C

Se você não possui termômetro de vinho (quase ninguém tem, né?), coloque a garrafa na geladeira. No caso dos tintos, deixe-os na porta por 1h30 a 2h antes de servi-lo. Brancos, verdes, rosés e alaranjados, deixe na prateleira do meio. E dos espumantes, guarde na prateleira mais gelada.

Gelou demais? Deixe-o do lado de fora da geladeira antes de servir! Abra a garrafa, sirva sua taça e vá aquecendo-a com as palmas das mãos; provando até que você consiga sentir um equilíbrio entre acidez, fruta e adstringência.
No mais, aproveite!


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas