salvador

Agentes da Transalvador serão obrigados a utilizar smartphones e tablets para emitir notificações de trânsito

Medida está prevista em portaria publicada na edição do Diário Oficial do Município desta segunda-feira (22)

  • D
  • Da Redação

Publicado em 22 de fevereiro de 2016 às 14:33

 - Atualizado há um ano

A partir de agora, os agentes de trânsito da Transalvador serão obrigados a utilizar smartphones e tablets para emitir as notificações de trânsito. A medida está prevista em portaria publicada na edição do Diário Oficial do Município (DOM) desta segunda-feira (22). De acordo com a Transalvador, os agentes de trânsito já vêm utilizando os smartphones desde março do ano passado. A princípio, apenas 30 celulares eram utilizados, de forma experimental. Atualmente o órgão conta com 400 celulares, para 600 agentes.Antes da implantação do sistema de multa eletrônica, cada notificação precisava ser incluída manualmente no banco de dados, antes de ser encaminhada para a gráfica, impressa e enviada para a casa do infrator. Agora, a notificação entra automaticamente no sistema da Transalvador.

O prazo para que todos os agentes tenham um smartphone é até o final do ano, ainda segundo o órgão de trânsito. Além da notificação eletrônica, os celulares também dispõe de código de trânsito, para consulta, e conexão com sistemas internos da Transalvador, para envio de informações e solicitação de remoção de veículos ou apoio.

Pensando na segurança de quem trabalha em campo, o dispositivo conta ainda com o Botão de Emergência do Agente (BEA). Quando acionado, o BEA manda uma mensagem ao Núcleo de Operação Assistida (NOA) do órgão, avisando que o agente está em perigo e precisa de reforço.O uso dos tablets é restrito aos supervisores de cada área. Além de possuir mesmas funções do celular, o tablet, ainda monitora a localização dos agentes através do GPS dos smartphones. Outros dados, como as notificações que estão sendo realizadas em cada área podem ser acessados.

Com a publicação da portaria, a utilização do talonário de papel só será admitida quando os equipamentos eletrônicos estiverem inoperantes. Nestes casos, o supervisor da área deve ser imediatamente comunicado e a informação deve ser incluída em relatório diário.

O órgão de trânsito fechou um contrato de R$ 28,8 milhões no ano passado, com a Martins e Neri Ltda., para implantação do serviço de multa eletrônica. A empresa presta serviços de consultoria em informática e será responsável por adequar tecnologicamente a Transalvador, fornecer equipamentos, capacitar os agentes de trânsito e implantar os servidores de armazenamento de informações do NOA.