Alunos aprendem a plantar horta em escola de Paripe

Produtos serão destinados para alimentação na escola e para doações

Publicado em 16 de setembro de 2017 às 06:40

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Betto Jr/CORREIO

Após dois anos querendo ter uma horta na Escola Municipal Fernando Presídio, no bairro de Paripe, a diretora Cássia Santos finalmente pôde ver o plano dar certo nesta sexta-feira (15), com a implantação do projeto Horta Escolar, uma ação da Prefeitura de Salvador que irá levar técnicas de plantios para escolas públicas da capital.

Cerca de 200m² foram divididos em dois quadrantes para receber hortaliças e mudas frutíferas, que receberam a ajuda dos alunos para serem plantados. Foram cinco pitangueiras, cinco pés de acerola e cinco goiabeiras, e mudas de salsa graúda, rúcula apreciará, alface cinderela, quiabo e coentro.

O aluno do quinto ano, Moisés, de 11 anos, se destacou na coordenação das atividades frente aos coleguinhas. “A horta agora está muito melhor. A gente plantou um monte de coisas e aproveitamos a ajuda do pessoal. A minha turma vai cuidar da horta toda segunda-feira e eu vou ajudar sempre”, disse. (Foto: Betto Jr) A diretora da escola, Cássia Santos, explica que desde quando assumiu a direção da escola, em 2015, ela vem tentando implantar a horta. E foi através de um post no Facebook pedindo ajuda de parceiros que a Secretaria Municipal de Educação (Smed) resolveu tornar a Escola Municipal Fernando Presídio como projeto-piloto para as outras unidades do município.

“A gente já tinha demonstrado o desejo de fazer o projeto da horta acontecer. Agora, precisamos demonstrar bons resultados. Até então, a gente tentou continuar com a horta, mas ela nunca deu certo. Dessa vez, o projeto reúne todo o público da escola e a comunidade de fora também”, disse.

Além dos alunos, que ficarão divididos em turmas por dias da semana, todos os funcionários da escola, incluindo professores, alimentação, limpeza, vigilante, secretaria e diretoria irão participar do projeto da horta. Aos sábados, o projeto ficará a cargo dos escoteiros do grupo Ruy Barbosa. No domingo, as igrejas Batista de Tubarão e Embaixadores do Rei cuidarão da horta.

 “São duas professoras coordenadoras do projeto, mas todos vão participar. A comissão é formada por professores, pais de alunos, parceiros da comunidade e funcionários da escola”, explicou Cássia.

Os produtos colhidos serão destinados tanto para a alimentação da escola, como doados para uma entidade que cuida de crianças e adolescentes em Tubarão, Pérolas de Cristo, e ao abrigo de idosos Bom Pastor, que fica próximo à escola. (Foto: Betto Jr) A coordenadora e pedagoga Patrícia Regina explica que o projeto move toda a comunidade e que ensina as crianças o processo de produção alimentícia. “Eles vão ver a produção desde a semente até o germinar, a colheita, o respeito com a natureza”, disse.

A conscientização do cuidado com a natureza também é adquirida pelas crianças. “Eles adquirem consciência, passam a não jogar o lixo no chão vendo as consequências disso, passam a ver a importância da alimentação saudável, de trabalhar em grupo, de partilhar”, disse.

O projeto é fruto de uma parceria entre a Secretaria da Cidade Sustentável e Inovação (Secis) e a Smed. Os funcionários do local receberam workshop para serem capacitados a cuidar corretamente da horta.