Anvisa diz que 340 pessoas passaram mal em navio da MSC

Embarcação está retida na capital baiana desde quarta-feira

Publicado em 8 de janeiro de 2009 às 16:10

- Atualizado há 9 meses

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) registrou aproximadamente 340 notificações de passageiros do navio MSC Sinfonia com sintomas de vômitos, diarréia e dor abdominal. A embarcação está no Porto de Salvador e passa por a vigilância epidemiológica do estado da Bahia.

O cruzeiro, que chegou a Salvador por volta das 7h da manhã de quarta-feira (7), trazia mais de 2.050 pessoas e foi liberado para retornar ao Rio de Janeiro às 17h desta quinta-feira. O navio deveria ter voltado para a capital fluminense às 16h30 de ontem (7). A embarcação é a mesmo em que uma cadeirante e 32 anos morreu, na segunda-feira (5), a caminho do Recife, mas a agência informou que não há relação entre os dois casos.

Navio foi liberado para retornar ao Rio de Janeiro às 17h desta quinta-feira(Foto: Reprodução TV Bahia)

Uma equipe da Anvisa encontrou irregularidades no armazenamento de alimentos (maionese) e na quantidade de cloro na água usada para a confecção de alimentos e na fabricação de gelo. Amostras de água e de comida foram recolhidos pelos técnicos. De acordo com informações do médico sanitarista Juarez Dias, o resultado dos exames deve sair em uma semana. Segundo a nota da Anvisa, todas as falhas foram corrigidas imediatamente.

(Imagem reprodução/MSC)

Entre os que passaram mal, segundo a Anvisa, 16 pessoas resolveram abandonar o navio e seguir para casa de avião. Uma pessoa chegou a ser atendida no Hospital Aliança com sintomas de gastroenterite. Após a veiculação de informe interno solicitando aos viajantes que se sentissem mal que se encaminhassem ao serviço médico de bordo para avaliação e preenchimento de questionário específico para este tipo de evento, 340 passageiros o fizeram e mais 40 foram atendidos no hospital de bordo.

Uma nova visita técnica será realizada na tarde desta quinta-feira na embarcação, segundo a Anvisa. Até a conclusão da vistoria, a embarcação ficou retida em águas baianas. O navio saiu do Rio de Janeiro e passou por Recife, Maceió e Salvador.

Em nota, a assessoria de imprensa da MSC Cruzeiros informou que foram atendidas 20 pessoas no centro médico do navio com distúrbios gastrointestinais e sintomas físicos típicos de virose. Destes, 11 hóspedes desembarcaram no Porto de Salvador.

Ainda de acordo com a empresa, o número de atendimentos médicos registrados a bordo corresponde a um índice de atendimento normal e rotineiro. Na manhã desta quarta-feira (7), uma hóspede de 87 anos apresentou alteração no quadro cardiológico e, preventivamente, a equipe médica do navio solicitou a remoção dela para um hospital local.

De acordo com informações da assessoria de comunicação da Secretária de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), um dos passageiros do cruzeiro é funcionário da Anvisa no Rio e acionou o órgão em Salvador.Para liberar a embarcação, a Anvisa exigiu a disponibilização de água mineral envasada a todos os viajantes, monitoramento da água e alimentos e apresentação dos resultados à autoridade sanitária além de oferecimento de dieta mais leve, a base frutas e legumes, evitando frituras e condimentos.

Uma cadeirante de 32 anos, passageira de um cruzeiro, morreu a bordo no navio que estava a caminho do Recife. De acordo com o G1, a vítima viajava acompanhada dos pais e de uma enfermeira e se queixou de dores durante a noite deste domingo (4) e madrugada desta segunda-feira. A primeira hipótese da polícia é de que ela tenha morrido de causas naturais.

(Atualizada às 16h42)

Veja também: