Corpo de mulher morta em batida é sepultado: "O cara que fez isso é um assassino"

Acidente aconteceu na noite do domingo (31) em Lauro de Freitas

Publicado em 1 de fevereiro de 2016 às 16:58

- Atualizado há 10 meses

Thais não resistiu e morreu momentos depoisdo acidente (Foto: Reprodução/Facebook)O corpo da instrumentadora cirúrgica Thais Nunes Torres, 31 anos, foi sepultado na tarde desta segunda-feira (1º) no Cemitério Bosque da Paz, em meio à comoção de familiares, amigos da família e colegas de trabalho.

Thais morreu depois que um motorista em alta velocidade bateu em seu carro na noite de domingo, em Lauro de Freitas. O causador do acidente fugiu e ainda é procurado.

Thais teria hoje seu primeiro dia de folga do trabalho - ela trabalhava no Hospital Pro Hope, antigo Jaar Andrade, em Cajazeiras.

O companheiro André Reis de Oliveira, 32, estava preparando o casamento oficial dos dois - eles viviam juntos, mas ainda não eram casados de papel passado. Ele também planejava uma festa para celebrar a união. Muito abalado, André preferiu não falar com a imprensa.

Andreia, 30, cunhada da vítima, voltou a pedir justiça. "O cara que fez isso é um assassino, destruiu uma família, deixou duas crianças órfãs de mãe", afirmou.

Colegas de trabalho contaram que Thais era uma pessoa bastante solidária e tranquila. Recentemente, as colegas fizeram um chá de fraldas para o bebê de 4 meses de Thais, que estava no carro no momento do acidente.(Foto: Almiro Lopes/CORREIO)AcidenteThais tinha ido buscar o marido André Reis de Oliveira, 32, em um curso e voltava para casa quando aconteceu o acidente. O marido estava sentado no banco de trás, com o filho do casal de apenas quatro meses. A criança completará 5 meses amanhã. 

Era Thais que conduzia o carro modelo Punto. "Meu irmão disse que ela vinha devagar, conversando, fazendo planos porque os dois e os filhos iam passar o Carnaval na Chapada Diamantina. O acidente aconteceu a um quilômetro da casa deles", contou a cunhada Andreia.

Segundo familiares, o motorista de um Tiida trafegava em alta velocidade quando tentou ultrapassar uma Montana, mas acabou colidindo na lateral do veículo e batendo de frente com o carro de Thais. "A batida foi tão forte que o cinto de segurança dela partiu", disse Andreia.

Thaís ficou gravemente ferida, não resistiu aos ferimentos e morreu no local do acidente. Ainda de acordo com Andreia, Thais chegou a pedir ao marido que não a deixasse morrer. "André está em estado de choque. Toda hora que fala, chora. Ela dizia para ele: 'me ajude, me ajude, não me deixe morrer', falou a cunhada.

André teve cortes no braços, escoriações pelo corpo e uma lesão no joelho. Ele foi socorrido para o Hospital Menandro de Faria, onde foi medicado e liberado. Segundo a família, ele está em estado de choque. O filho do casal sofreu uma pancada na cabeça, foi levado para o Hospital São Rafael e liberado.

O motorista que conduzia a Montana não ficou ferido. Já o motorista causador do acidente abandonou o veículo na pista e fugiu do local em um carro que apareceu minutos depois para buscá-lo. "No carro dele tinha garrafa de whisky na porta e latas de cerveja pelo chão do veículo. Minha cunhada era uma boa mãe, esposa, uma guerreira. Ele tirou uma peça importante da família", completou Andreia. Thaís tinha um outro filho, de oito anos, fruto de um outro casamento e que não estava no carro no momento do acidente.

De acordo com o titular da 23ª Delegacia (Lauro de Freitas), delegado Joilson Reis, um inquérito policial já foi instaurado para apurar o caso. A polícia também apura se o condutor do veículo que causou o acidente era um policial militar. "O agente de trânsito que registrou a ocorrência trouxe a informação de que ele (causador do acidente) seria um policial militar. Nós ainda estamos tentando identificar se, de fato, trata-se de um pm", disse o delegado. Ainda de acordo com ele, a polícia já solicitou laudos periciais dos veículos envolvidos no acidente e exames de lesões corporais nas vítimas. 

* Com informações do repórter Diogo Costa