Corpos de irmãos são velados em igreja em São João do Cabrito

Eles serão enterrados nesta sexta-feira (19) à tarde, no Cemitério Municipal de Plataforma

Publicado em 19 de fevereiro de 2016 às 10:22

- Atualizado há 10 meses

Os corpos dos irmãos Elias Nascimento Brito dos Santos, 19 anos, João Mateus Brito dos Santos, 17, e Tiago Nascimento Brito dos Santos, 16, foram liberados na noite da quinta-feira (18) e estão sendo velados na manhã desta sexta-feira (19), na Igreja Batista Pentecostal Monte Sinai, em São João do Cabrito, bairro onde eles moravam.Os irmãos serão enterrados hoje à tarde, no Cemitério Municipal de Plataforma. As vítimas foram surpreendidas dentro da residência onde moravam com o pai e foram alvejados diversas vezes. Tiago, João Mateus e Elias foram mortos dentro de casa; delegado diz que eles tinham envolvimento com o tráficoFoto: ReproduçãoO triplo homicídio aconteceu na Travessa Noroeste, transversal à Rua dos Ferroviários, por volta das 20h. Segundo informações da Central de Polícia, as três vítimas foram baleadas dos pés a cabeça, e não foi possível contar a quantidade de perfurações nos corpos.Fragmentos de projéteis ficaram espalhados pelos cômodos da casa, mas a quantidade de sangue não permitiu que a polícia identificasse de imediato qual tipo de arma foi utilizado no crime.Testemunhas informaram à polícia que pelo menos oito homens chegaram ao local. Divididos em dois grupos, cercaram a casa, onde estavam os três irmãos e mais duas pessoas não identificadas, que foram poupadas. "Dois dos bandidos subiram na laje da casa vizinha e pularam no quintal da casa dos meninos e então abriram a porta para os comparsas. Quando chegaram, mandaram os travestis irem embora e começaram a matança", contou um morador, que não quis se identificar.  Um outro morador, que estava reunido com amigos em casa, disse que escutou os tiros. "Foram muitos e sequenciais. Muito tiro mesmo. Tranquei o portão de casa, apaguei as luzes e deitei no chão. Foi quando eles pararam, mas aí, ouvi um deles dizer: 'Deixa eu dar o meu também'. E foram mais tiros", contou. 

Apesar de a polícia ter informado, na véspera, que a mãe dos rapazes, a vendedora de salgados Rosilene Nascimento Brito, estava na casa, ela negou a informação. A mulher, que chegou ao local do crime quando os corpos já tinham sido removidos, estava em Camaçari, quando soube da tragédia. Já o pai, o autônomo Antônio Carlos Brito dos Santos, estava em Taperoá, trabalhando numa obra, e também não presenciou o crime. Ele ficou com a guarda dos rapazes quando se separou de Rosilene, há dois anos.