Serralheiro espancado por PMs faz denúncia na secretaria de Direitos Humanos; veja depoimento

Vítima foi retirada do prédio pelos policiais e espancado na frente da mãe e de vizinhos

Publicado em 29 de fevereiro de 2016 às 10:53

- Atualizado há 10 meses

O serralheiro Moisés Gonçalves, 18 anos, agredido e torturado por dois policiais militares na quarta-feira (24), será recebido pela superintendente de Apoio e Defesa aos Direitos Humanos, Anhamona de Brito, na manhã desta segunda-feira (29). O caso aconteceu em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador.

Segundo a assessoria da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), a reunião foi solicitada pelo serralheiro e começou por volta das 10h30.Moisés mostra as marcas das agressões sofridas durante a abordagem policial (Foto: Gil Santos/ CORREIO)Moisés Gonçalves foi abordado por dois homens quando visitava uma vizinha no condomínio Quinta da Glória, em Itinga. Ele foi arrastado para fora do prédio, agredido com socos e chutes e obrigado a entrar no porta-malas de um carro Voyagem branco.Familiares da vítima tentaram impedir a agressão e foram ameaçados por um dos homens. O serralheiro foi levado até um matagal e espancado por mais alguns minutos e depois deixado na 27ª Delegacia (Itinga).

A assessoria da Polícia Militar informou em nota que os dois homens são policiais do setor de inteligência da 81ª Companhia Independente da PM (CIPM/Itinga) e que estavam à procura de um suspeito quando capturaram Moisés.