Traficante terror do Subúrbio esteve na casa dos três irmãos mortos

Segundo relatos feitos à polícia, Ednelson liderou bando em ataque

Publicado em 26 de fevereiro de 2016 às 05:45

- Atualizado há 10 meses

Ednelson, 28, tenta expandir domínio por todo o Subúrbio(Foto: Divulgação/Polícia Civil)Tido como o bandido mais perigoso do Subúrbio Ferroviário, o traficante Ednelson Nascimento da Conceição, 28 anos, participou da execução dos três irmãos no bairro de São João do Cabrito, no último dia 17. Conhecido como Mágico ou Belo, ele é investigado como autor de pelo menos 20 homicídios nas proximidades da Avenida Suburbana, incluindo a morte de um policial militar em 2012.

Segundo informações colhidas nas delegacias da região, 29ª Delegacia (Plataforma) e 5ª Delegacia (Periperi), as denúncias chegaram à Polícia Civil através do Disque-Denúncia (3235-0000). Outras denúncias foram realizadas através de ligações para as próprias delegacias.

“Tivemos ligações anônimas que apontam a participação de Ednelson nas mortes dos três irmãos e a Polícia Civil está empenhada para prendê-lo”, declarou a delegada Celina Campos, titular da 29ª Delegacia.

Além disso, um ex-comparsa, preso na terça-feira passada, cita ele como provável autor do triplo homicídio.O CORREIO procurou o delegado Odair Carneiro, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pelo inquérito do triplo homicídio. Por meio da assessoria de comunicação da Polícia Civil, ele disse que não confirma a informação.

DomínioEdnelson atua no Lobato, Plataforma, Alto do Cabrito e Boiadeiro. Líder da quadrilha Bonde do Maluco (BDM) na região, grupo criminoso filiado à facção Caveira, ele está expandindo seu domínio para regiões próximas, como a Prainha do Lobato e Periperi.Irmãos foram mortos dentro de casa em São João do Cabrito na noite de quinta-feira (18)(Foto: Reprodução)“Fomos informados de que o grupo dele está se instalando no Congo e Nova Constituinte, comunidades de Periperi. Ele e comparsas estão entrando à força, tomando o espaço à base de tiros”, disse um dos investigadores da 5ª Delegacia.Segundo o agente, Ednelson recebe ordens do Complexo Penitenciário da Mata Escura. “O comando da facção Caveira vem dos módulos I, II e IV da Cadeia Pública, onde estão os cabeças. Já o módulo I, a predominância é da Katiara”, declarou ele.

IrmãosOs irmãos Elias Nascimento Brito dos Santos, 19 anos, João Mateus Brito dos Santos, 17, e Tiago Nascimento Brito dos Santos, 16, foram surpreendidos dentro da residência onde viviam com o pai, Antônio Carlos Brito dos Santos, e foram baleados, lado a lado, diversas vezes. O crime aconteceu por volta das 20h na Travessa Noroeste. Testemunhas informaram à polícia que pelo menos oito homens chegaram ao local. Divididos em dois grupos, cercaram a casa, onde estavam os três irmãos, junto com outras duas pessoas, que foram liberadas pelos criminosos.

Segundo a Central de Polícia, apenas o adolescente de 16 anos tinha envolvimento com o tráfico de drogas. Seus dois irmãos não teriam envolvimento com a criminalidade. Nenhum deles, porém, tinha registro de passagem por delegacias.

[[saiba_mais]]Comoção Abalada, Rosilene Nascimento Brito, mãe dos jovens mortos, disse que falava todos os dias com os filhos, apesar de separada do pai deles. Ela enviava mensagens através do aplicativo WhatsApp para acompanhar onde eles estavam. “Só dormia quando falava com eles. Eram meninos trabalhadores, trabalhavam comigo, não eram preguiçosos. Sabiam fazer bolo, doce”, contou ela, durante o enterro dos filhos, no Cemitério Municipal de Plataforma, sexta-feira passada.

Diante da tragédia, ela só lamentou e busca explicações para o que ocorreu. “Acho que pela mente fragilizada, ainda se formando, não deixa de ter um deslize. Se a gente não tiver com a cabeça firme, acontecem as coisas”, refletiu.

Latrocínio de PM em 2012 e fuga da cadeia em 2015Ednelson Nascimento da Conceição, o Belo, tem um longo histórico de crimes, um deles envolvendo a morte do  policial militar Leonildo Santana dos Santos,  30 anos, crime que cometeu junto com dois comparsas. O soldado abastecia o seu veículo em um posto de combustíveis em Campinas de Pirajá, em maio de 2012, quando foi abordado pelo trio. Ao reagir, acabou assassinado pelos ladrões, que fugiram no carro do PM, abandonado logo depois no Alto do Cabrito, uma das áreas de atuação de Ednelson.Em agosto de 2014, o criminoso foi preso dentro de uma van em Simões Filho, quando seguia para Feira de Santana. Em seu poder estava a pistola roubada do policial assassinado anos antes. Na época, ele já integrava o Almanaque do DHPP, que divulga homicidas foragidos.Momentos antes de ser preso, Ednelson havia assassinado um traficante rival no bairro de  Plataforma. Acabou autuado em flagrante por porte ilegal de arma, associação para o tráfico, roubo e homicídio.

A fuga da Unidade Especial Disciplinar (UED), no Complexo da Mata Escura, foi na madrugada de 17 de agosto do ano passado, junto com outros 19 detentos perigosos. A UED é um presídio destinado a réus provisórios e condenados em regime fechado, inclusive internos sob o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD).