Beeeendita! Sufocado pela ditadura das senhas

Incorporei o nome da família e, quando me dei conta, estava xingando filhos e netos

  • Foto do(a) author(a) Nelson Cadena
  • Nelson Cadena

Publicado em 24 de agosto de 2023 às 05:00

Para que fui trocar de senha? A minha senha original do Orkut era meu nome e minha data de nascimento. Alertado de que era uma senha de risco, inverti o nome, dava um trabalho para lembrar a ordem das letras, mas a lógica do ilógico funcionava. Mas, um dia tive de criar uma senha para o Facebook, e outra para o Linkedin, e uma para o Twitter e mais uma para o banco e outra para o cartão de crédito e tome-lhe senha para acessar o smartphone e o computador. Quando fui reparar, inconscientemente estava criando senha até para ligar o micro-ondas.

Então, tive uma ideia brilhante, o nome de um filho para cada senha, acrescido do ano do nascimento, tenho cinco, e quando o nome dos filhos esgotou, incorporei o nome dos netos e quase deu certo, se não fosse a eterna implicância das redes sociais e dos sistemas para mudar de senha, ou me lembrar que a senha Joana 1978, não era a correta. Deve ser João 1984, imaginei. Não era. Quem sabe Emilio 2001. Quando me dei conta, eu estava xingando filhos e netos, toda hora, quando errava a senha, eles nem imaginam, chato isso. Resolvi mudar de estratégia.

Descobri a pólvora e incorporei a senha infalível, aquela que nenhum hacker conseguiria decifrar e sistema nenhum se atreveria a me sugerir mudança, mudar para quê? Para que mudar? Criei a senha: aquela senha, mudei para a dita senha e após sem senha, e depois qualquer senha, e de mudança em mudança cheguei a mantida senha, a seeenha, bendita senha e aí fui baixando o nível e adotei odeio senha, maldita senha, senha porra e logo sua mãe senha. Desisti depois de receber um alerta do Instagram quando mudei para FDP senha.

Sem muitas alternativas e cada vez mais sufocado pela ditadura das senhas, apelei para outros códigos, traduzindo os prefixos: câmera2021 para o Instagram, cara2021 para o Facebook, conectado2021 para o Linkedin, pio2021 para o Twiter, Brasil2021para o Itau, e assim por diante. Quase deu certo. Muito prefixo para meu gosto, desisti e fui me aconselhar com uma querida amiga.

- Minha linda, você que está em todas as redes sociais, qual é a sua senha, para eu me inspirar?

- Oxente! Endoidou? Não estou dando outras coisas, não vou lhe dar minha senha.

- Você não confia em mim, amor?

- Claro que não. Eu lhe conheço, você é descarado, cachorro...

- Essa é a opinião que você tem de mim? Não estou acreditando.

- Não é opinião, é lembrança.

- Mas você me disse uma vez que eu era dez.

- Ouviu errado, meu querido, eu disse três. Mas vou lhe dar minha senha para você não ficar com raiva de mim.

- Obrigado, minha linda, sabia que você não ia me faltar nessa hora, qual é amor?

- É nelsonsacana para as redes sociais. E para os cartões nelson&#!*?&X@**Z#fdp

Nelson Cadena é publicitário e jornalista, escreve às quintas-feiras