Incêndio atinge casarão do Cine XIV, no Pelourinho

salvador
11.11.2017, 10:13:10
Atualizado: 11.11.2017, 20:53:17

Incêndio atinge casarão do Cine XIV, no Pelourinho

Fogo começou por volta das 8h30; bombeiros estão no local

Um incêndio atingiu a Saladearte Cine XIV, no Pelourinho, na manhã deste sábado (11). Segundo a Central Integrada de Comunicação das Polícias (Cicom), o fogo começou no casarão onde funciona o cinema por volta das 8h30, mas as causas ainda são desconhecidas. Testemunhas contaram que por volta das 8h já havia chamas no imóvel.

 

Uma hora depois do início, ainda havia chamas e muita fumaça no local. Por conta disso, a Rua Frei Vicente foi bloqueada. Uma segunda viatura do Corpo de Bombeiros chegou por volta de 10h35 para dar apoio - até então apenas um carro estava no local. Funcionários de um lava à jato próximo usaram uma mangueira para tentar conter o fogo, que destruiu portas, janelas e consumiu a parte interna do imóvel. 

O terceiro caminhão dos bombeiros chegou por volta das 10h55. Representante da Casa 14, imóvel que fica ao lado do cinema e que também foi atingido pelo fogo, Simone Carrera afirmou que o primeiro carro dos bombeiros não tinha água suficiente. "Os bombeiros informaram que na Baixa dos Sapateiros (onde fica um grupamento) estava sem água e eles tiveram que buscar água no Iguatemi", conta. O Corpo de Bombeiros nega que tenha havido falta de água.

"O primeiro caminhão tinha água que foi usada no combate e por isso acabou. Como houve dificuldade em localizar o hidrante (que fica dentro de uma casa, que estava fechada), então vieram dois outros caminhões: um do grupamento do Iguatemi e outro de Lauro de Freitas", explicou o subcomandante Leandro Vialto. Na rua onde ocorreu o incêndio, não havia nenhum hidrante. De acordo com Vialto, o fogo do cinema começou a ser combatido por uma entrada lateral, já que as portas e janelas principais estavam tomadas pelas chamas. 

Como o casarão estava "energizado", ou seja ligado à rede elétrica, foi preciso aguardar o desligamento pela Coelba. Equipes da concessionária foram acionadas para que os bombeiros pudessem começar a trabalhar, seguindo protocolo de segurança. Pelo menos 10 bombeiros atuaram no incêndio.

O fogo foi contido por volta das 11h. "Como tem muita madeira no imóvel, há o risco do incêndio retornar", explicou o bombeiro Jonae Braz. O objetivo agora dos bombeiros é concluir o rescaldo, evitando que o fogo passe para outros imóveis. Segundo ele, aparentemente há risco de desabamento do imóvel, que ficou destruído. 

Diretor da Saladearte, Marcelo Sá, chegou ao local visivelmente emocionado e disse que, junto com o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), pretende acompanhar as investigações do caso. 

"Nós somos pessoas de bem, tanto eu como meus vizinhos que possuem outros projetos de cultura. Por enquanto não passa nada pela cabeça da gente, mas isso mostra que a área está desprovida de uma segurança maior. O foco agora é conseguir conter totalmente o incêndio, depois vamos atrás do inquérito da polícia e acompanharemos de perto a investigação para saber o que ocasionou esse desastre", afirmou Marcelo. 

(Foto: Jordan Dafné/ CORREIO)

À noite, ele divulgou uma nota lamentando o ocorrido e afirmando esperar o quanto antes poder retomar as atividades no local.

"O Circuito Saladearte comunica, com muito pesar, que na manhã de hoje, sábado, 11 de novembro, ocorreu um incêndio no Cine XIV, no Pelourinho. O incêndio, que começou no início da manhã, segundo testemunhas, só foi completamente debelado no final da tarde. Estamos aguardando a perícia técnica para identificar a causa do incêndio. Todo o espaço físico do cinema foi queimado. Não houve vítimas, apenas danos materiais. Contamos com o apoio de todos para nos reerguer e esperamos, em breve, poder voltarmos com a nossa programação no mesmo local", diz a mensagem.

Vizinhos lamentam
De acordo com Sothenes Macêdo, diretor geral da Defesa Civil de Salvador, a rua, os dois imóveis atingidos, e os casarões vizinhos ficarão isolados até que o processo de resfriamento seja totalmente feito. Quem costumava passar pela rua para chegar ao Largo Terreiro de Jesus, agora terá que fazer um retorno pela Rua Inacio Accioli. 

Além do Cine XIV, que foi reaberto após reforma em novembro de 2016, e da Casa 14, a rua abriga imóveis residenciais e sedes de importantes iniciativas políticas e culturais como o Grupo Gay da Bahia (GGB), a Biblioteca Anisio Teixeira, o Teatro XVIII, o Centro de Cultura e Arte do Pelourinho (CECAP), e o Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica. 

Os moradores se mostraram abatidos com o incêndio e ao mesmo tempo com medo de suas casas serem atingidas pelo fogo, já que os imóveis ficam colados parede com parede. Suzana Duran, 48 anos, aposentada, mora no local há cinco anos e se emocionou ao falar do quanto o cinema fará falta. 

"Essa casa era do meu avô e desde que moro aqui esse cinema é a diversão dos nossos domingos, e inclusive eles se preocupam muito com a gente, enviam a programação toda semana, o ingresso é R$ 5 para quem mora ou trabalha por aqui, às vezes, é até de graça. Isso sem falar nas oficinas para as crianças e os eventos. É uma perda muito triste", contou. 

A diretora de Gestão do Centro Histórico pela prefeitura Eliana Pedroso também lamentou o acontecimento e fez questão de ressaltar a importância do Cine XIV não só para a área do Pelourinho, mas para toda a cidade. 

"Ainda não sabemos o quanto perdemos, por enquanto só temos noção da perda afetiva e cultura que essa situação é. É um cinema que faz parte do Circuito de Saladearte de Salvador, é um grandiosidade cultural muito grande, sobretudo agora que o Pelourinho vive esse momento de efervescência da cultura por conta do projeto Pelourinho Dia & Noite que volta muitos olhos para a região", explicou. 

A dramaturga Aninha Franco, que geriu o espaço até 2010, também lamentou a decadência absoluta da área, ressaltando que a falta de políticas públicas para a região possibilitou que todas as mazelas combatidas -como o tráfico de drogas, a prostituição e o abandono escolar – voltasse a região. “Tínhamos problemas gravíssimos que estão de volta com força total. A falta de estrutura, cuidado e investimento, por exemplo, condenou as crianças que eram educadas nos projetos do Teatro XVIII, por exemplo, além de possibilitar a perda do patrimônio material”, completa.

O cineasta e um dos curadores do Panorama Coisa de Cinema Cláudio Marques também lamentou a perda do patrimônio cultural. “Eu imagino que era feito um trabalho de resistência para manter aquele espaço importantíssimo por se tratar de um cinema em pleno Centro Histórico, por isso espero que aquilo seja recuperado e que haja apoio para auxiliar nessa recuperação”, completou.

Rua Frei Vicente interditada
(Foto: Jordan Dafné/ CORREIO)


O Governo da Bahia emitiu uma nota informado que o Departamento de Polícia Técnica (DPT) realizará pericia para apontar a causa do incêndio.

Leia na íntegra: 
"O incêndio que atingiu um imóvel do Centro Histórico de Salvador na manhã deste sábado (11) foi totalmente controlado pelas equipes do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia por volta das 12h. Agora, os bombeiros realizam trabalho de rescaldo, ultimo procedimento do combate que extingue qualquer possível ponto de calor.Três unidades dos Bombeiros foram utilizadas para atuar no combate ao incêndio. Equipes da Polícia Militar, da Coelba e da Embasa também atuaram na ocorrência.O uso de água no combate às chamas obedeceu a critérios técnicos e a dificuldade temporária no acesso aos hidrantes do Centro Histórico não comprometeu o trabalho no local, tendo em vista que o imóvel estava energizado e não podia receber jatos de água durante todo o período de atuação dos bombeiros. Uma perícia será realizada pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) para apontar a causa do incêndio."