Após impasse de 50 dias, obra do BRT é retomada em Feira de Santana

Grupo de manifestantes que ocupava local há cerca de 30 dias foi retirado pela Guarda Municipal da cidade

Publicado em 26 de outubro de 2015 às 17:43

- Atualizado há 10 meses

O BRT de Feira de Santana voltou a andar - ou, neste caso, a obra de implantação dele. Após 50 dias de paralisação por conta de um impasse sobre a liberação de verba junto à Caixa Econômica Federal e a ocupação de manifestantes contra a implantação do sistema no local, o serviço foi retomado na manhã desta segunda-feira (26).Grupo de manifestantes que ocupava local há cerca de 30 dias foi retirado pela Guarda Municipal da cidade(Foto: Divulgação/Prefeitura de Feira de Santana)Por volta das 5h, a Guarda Municipal da cidade retirou um grupo de manifestantes que ocupava o local onde está sendo construída uma trincheira, espécie de túnel por onde o BRT irá passar, há cerca de 30 dias. Segundo a prefeitura de Feira de Santana, a retirada dos manifestantes foi pacífica, e uma equipe da Guarda Municipal permanecerá no local permanentemente. 

O repasse dos recursos para a realização da obra do sistema, que foi suspenso enquanto a prefeitura da cidade não prestasse informações sobre o projeto, foi liberado nesta segunda-feira. O impasse foi resolvido após ser atendida uma solicitação de que fosse preservada uma área maior no passeio em trecho da avenida Maria Quitéria, voltada para o uso de pedestres. Após impasse de 50 dias, obra do BRT é retomada em Feira de Santana (Foto: Divulgação)O sistema de transporte, que deve ser concluído em janeiro de 2017, vai beneficiar 56 mil passageiros que atualmente utilizam o tradicional serviço de ônibus. O BRT contará com dois corredores — João Durval, com 4,8 km de extensão, e o Corredor Getúlio Vargas, com 4,45 km, totalizando 9,25 km que vão ligar três terminais, também parte do projeto.

Ao todo, 20 ônibus especiais, com acessibilidade, GPS, ar-condicionado e capacidade para atender até cem passageiros, por viagem, vão circular pelos corredores exclusivos. A construção conta com um investimento de aproximadamente R$ 87 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal. 

[[saiba_mais]]