Polícia divulga retrato falado de assassino do engenheiro de som

Vítima teria segurando na arma do bandido antes do assaltante atirar

Publicado em 6 de outubro de 2015 às 18:12

- Atualizado há 10 meses

Retrato falado divulgado pela assessoria da Polícia Civil(Foto: Divulgação)O retrato falado do suspeito de matar o engenheiro de som José Fernando Álvares Gundlach, 62 anos, durante um assalto no Saboeiro, no domingo (4), foi divulgado nesta terça-feira (6) pela assessoria da Polícia Civil.

O autor do disparo é apontado como um homem negro, aparentando entre 22 e 23 anos, magro, medindo cerca de 1,65 m e de olhos escuros. No dia do crime, o assaltante usava camisa pólo vermelha, bermuda, sandálias e boné branco.

O retrato falado foi construído através do relato de testemunhas. Outros dois homens suspeitos de participação no crime estão sendo procurados. O corpo de José Fernando foi sepultado na tarde desta terça-feira (6), no Jardim da Saudade, em Brotas. Uma das testemunhas presenciou o momento em que a vítima era apalpada pelo bandido. Segundo essa testemunha, José Fernando reagiu quando o ladrão tentou levar a mochila e teria colocado a mão sobre a arma do suspeito. O bandidos recuou um passo e atirou contra o rosto do engenheiro.Os bandidos fugiram em um Fiat Palio Weekend, com o celular e a mochila do engenheiro de som, além do celular, relógio e a corrente de outras vítimas. Segundo a assessoria da Polícia, o carro era roubado e os suspeitos já haviam atacado outras duas pessoas nas imediações.O retrato falado do assassino foi divulgado pela Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), que, em conjunto com a 11ª Delegacia Territorial (Tancredo Neves), responsável pela apuração do crime. 

SepultamentoO corpo do engenheiro de som José Fernando Álvares Gundlach, 62, morto durante um assalto no bairro do Saboeiro, foi sepultado no final da tarde desta terça-feira (6), no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas. Colegas de profissão da vítima vestiram camisas pretas - espécie de farda usada por técnicos de som -, com pedaços de fita adesiva branca do lado esquerdo do peito como uma forma de homenagem à vítima e também de protesto contra a violência.

Presente no sepultamento, o cantor Luiz Caldas lamentou a morte de Fernando Gundlach e disse que esta foi uma grande perda para música. Na tarde de segunda (5), quando a morte do engenheiro de som foi confirmada, o músico fez um desabafo no Facebook sobre o caso.

"Tanta maldade para roubar um mísero aparelho celular", escreveu o músico. Ele conta que visitou Gundlach no Hospital Roberto Santos no domingo, torcendo pela recuperação do amigo. "Rezei para que o amigo se recuperasse e que voltasse a sorrir, mas a criminalidade mais uma vez venceu", escreveu. "Dói vivenciar tamanha barbárie". Também foram prestar a última homenagem ao engenheiro de som, o compositor Buck Jones, a cantora Claudia Cunha e o humorista Renato Fechine.(Foto: Reprodução/Facebook)Fernando Gundlach, que nasceu em Porto Alegre, vivia com a mulher e o enteado em uma casa no Saboeiro. Ele deixou três filhos de um primeiro casamento. "É consenso de que ele era uma pessoa muito bondosa e amiga. A gente acredita que ele não reagiu, porque ele orientava as pessoas a sempre entregar os pertences durante assaltos", contou o enteado Eduardo de Oliveira. Para ele, o padrasto foi confundido com policial pelos bandidos. "O que quero é que se faça justiça e que a polícia prenda os acusados", falou. 

Um vizinho do engenheiro, que não quis se identificar, disse ter testemunhado o crime, ocorrido na tarde do último domingo (4). Segundo ele, três homens a bordo de um Palio Wekeend verde roubaram um casal que estava dentro do Condomínio Lafaiete Spínola. Depois disso, um dos bandidos desceu do carro armado e abordou o engenheiro de som, que passou o celular. Ao tentar levar a bolsa, o assaltante reclamou da demora e disparou o tiro contra a face da vítima. Fernando Gundlach foi socorrido por um amigo, que o levou ao Hospital Roberto Santos, onde foi internado e submetido a uma cirurgia no mesmo dia. 

Gundlach estava internado em estado gravíssimo desde a tarde deste domingo (4). Após cirurgia, ele foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas não resistiu ao ferimento e teve morte confirmada na tarde de segunda-feira (5).