Aplicativo exclui taxista que expulsou casal gay de táxi no Carnaval do Rio

Empresário disse que estava dormindo. Mas o motorista disse: “eu não concordo com esse tipo de perversão no meu carro

Publicado em 12 de fevereiro de 2016 às 09:56

- Atualizado há 10 meses

O taxista do Rio de Janeiro que expulsou um casal gay do veículo durante o Carnaval foi excluído do aplicativo 99Taxis. A empresa decidiu excluir o taxista após tomar conhecimento do caso, publicado nesta quinta-feira (11) no jornal O Globo.O passageiro, de 36 anos, contou ao jornal que voltava do bloco “Bunytos de corpo”, na Praça Tiradentes, no Centro do Rio, por volta das 2h de terça-feira, junto com um homem. Eles pediram o táxi pelo aplicativo no celular."Ele (o acompanhante) estava com muito sono, deu uma encostada em mim, e eu o abracei. Aí, o taxista parou, virou-se para trás e disse: “não aceito essas coisas no meu carro” — relatou o passageiro.Segundo o jornal Extra, o empresário disse que estava dormindo. Mas o motorista disse: “eu não concordo com esse tipo de perversão no meu carro. Eu gostaria que vocês se retirassem”, contou.O casal desceu do táxi e pediu outro carro, pelo mesmo aplicativo. "Com esse taxista, foi tudo ótimo. Muita gente diz: “temos que pegar o Uber porque taxistas não prestam”. Não. Era só um indivíduo, não é uma instituição", disse ao Extra.O empresário denunciou o caso ao movimento Rio sem Homofobia e fez uma reclamação contra o motorista à empresa 99Taxis."Não queria que o taxista ficasse impune. A certeza da impunidade no país está tão grande que as pessoas estão cheias de si. Por mais que a gente tente preservar a nossa imagem, a gente tem que fazer algum barulho, a gente não pode se omitir".A empresa lamentou a situação em nota e declarou: “Somos a favor do bem, do respeito e do carinho com o próximo”.