Em vídeo, policiais torturam jovem e raspam tatuagem com facão

Tatuagem de palhaço é associada com morte de policiais; cenas são fortes

Publicado em 6 de outubro de 2015 às 20:23

- Atualizado há 10 meses

Um vídeo de tortura que circula na internet mostra um policial militar raspando com um facão a tatuagem nas costas de um rapaz. O vídeo de 1m54 mostra dois policiais, com brasão e uniforme semelhante ao da corporação do Estado do Ceará, torturando o jovem com golpes de facão e chutes no tronco.

Durante as cenas, os policiais raspam uma tatuagem de palhaço no lado esquerdo das costas do rapaz. “Chore, não. O palhaço agora está ganhando cor. A gente agora está só dando cor para o seu palhaço”, provocou um dos policiais, enquanto a vítima chorava de dor. Aos poucos, a tatuagem vai desaparecendo e dando espaço ao vermelho do sangue. (Foto: Reprodução/YouTube) “Chore, não. Tu não é vida louca?”, insistiu um PM, aos gemidos de “não” da vítima. A cena chocante segue com os policiais colocando o rapaz deitado. No chão, o jovem recebe chutes de um PM, enquanto outro continua raspando a tatuagem. “Isso aqui é para tu deixar de ser gaiato, viu?”, disse o policial.

Ao site Jornal Evangélico de Porto Velho, o tenente-coronel Andrade Mendonça, responsável pelo setor de Comunicação Social da Polícia Militar do Ceará, afirmou ter conhecimento das imagens. Porém o policial disse que não há elementos suficientes para indicar que o caso tenha ocorrido no Estado: “É um vídeo anônimo que chegou para nós. Analisamos as imagens, mas não tivemos elementos suficientes para abrir um procedimento apuratório”.

Na Bahia, a Polícia Militar criou uma cartilha de identificação de tatuagem, relacionando as tatuagens dos detentos com os crimes realizados por eles. A cartilha gerou críticas e revolta nas redes sociais por criar um estereótipo de tatuagem e criminalizar a arte. Segundo a cartilha, o desenho do Palhaço é associado a roubo e morte de policiais.

O vídeo contém imagens fortes: